domingo, 27 de fevereiro de 2011

Virtude: A maldade por trás da beleza

Aqui estou eu de novo galera! Ultimamente eu tenho pensado bastante em vilões, sabem como é, eu sou mestre de um grupo, e meu dever é acabar com a felicidade deles (brincadeira....ou não). Estava pensando em qual tipo de vilão tem mais impacto, e cheguei na conclusão: Rostinhos bonitos escondem os piores vilões. Confira esse belo, mas cruel post!




Uma voz calma carregada de maldade, um sorriso perverso cheio de charme. Essas são as vilãs.
Muitos de nós já passamos por essas situações, onde um teste sucedido de força de vontade pode ser a diferença entre a vida ou a impressão de uma nova ficha.
Minha opinião sempre é a mesma... As vilãs são demais! Quem diria que a moçinha com aparência angelical é na verdade a mandante do assassinato cruel de todos os moradores de uma vila agropastoril? Ou quem suspeitaria que a bela contoria que vem do lago na verdade é uma "bela" forma de morrer?

Vou lançar alguns exemplos desses formidáveis desafios, que tornam mais interessantes qualquer narrativa.

Sereias: Um exemplo que aterrorizou marinheiros até na vida real. Em meados do século XV e XVI, navegadores europeus contavam relatos, entre um vinho e outro, de mulheres belas que apareciam no meio do mar. Os marinheiros já não viam mulheres à meses, mas aquelas mulheres nem sequer tapavam suas vergonhas, além de cantarem com uma voz suave e provocante. Não foi apenas um marinheiro que confirmou esse fato, homens maduros se atiraram ao mar e nunca mais foram vistos.



Ninfas: Trazendo a coisa um pouco mais para a nossa área, temos as ninfas. A descrição do Livro dos monstros 3.5 é formidável, vou poupar minha criatividade:
" As ninfas são a personificação natural da beleza física e as guardiãs de locais selvagens e sagrados. Elas são tão insuportavelmente encantadoras que mesmo um vislumbre pode matar as pessoas mais fracas. As ninfas odeiam o mal e aqueles que maltratam a natureza por qualquer razão(...)"


Olhar diretamente para uma dessas fará de você um homem cego. Portanto, nada de pesca ou caça predatória, ok?

Drows: Como fã dos livros o Salvatore, não poderia deixar de mencionar as mais belas e mais cruéis de todas. As drows! Drows são os elfos negros do forgotten realms.
O que faz das drows do subterrâneo más e charmosas ao mesmo tempo?
Primeiramente, temos que considerar que elas mandam no pedaço. Nas grandes cidades do subterrâneo acontece algo que eu chamo de teocracia. Os drows assimilam seu sucesso como povo opressor à uma Deusa demônio, Lloth. Essa Deusa só tem sacerdotizas, e quanto mais prestígio tem com a Deusa, maior é o seu poder dentro da própria sociedade. Por isso, os drows homens servem para outras finalidades, tal como:
-Lutar as guerras que elas provocam.
-Carregar suas compras (brincadeira, hehe)
-Aprender magia arcana (só mulheres tem acesso à magias divinas)
-Satisfazer as vontades das mulheres.
O último tópico em particular é um motivo que põe elas no topo da maldade e sensualidade. Elas mantém alguns homens como escravos sexuais, e se o dito cujo não satisfazer suas necessidades carnais, ele é sacrificado à Lloth. Cruel, não?
Esse lance de sacrifício é muito presente entre os drow, e o próprio Drizzt Do'Urden seria oferecido à Lloth, caso não tivesse sorte e coragem. ( e eu não teria lido a trilogia do Vale do vento gélido   o_o)


Por essas e outras, na minha mesa existe uma regra: Quanto mais cruel, mais bonita. (haha)

Eu usei apenas alguns exemplos mais famosos, contribua você também!
Se lembrar de alguma vilã dessas que dá pena de baixar a espada de tão lindas que são, comente logo abaixo!

Foi um prazer trocar idéias com vocês mais uma vez. Até mais galera!
O CavaleiroFelipe Halfen Noll é o Cavaleiro, um apaixonado por fantasia medieval.Quando pequeno, seus olhos brilhavam quando nos desenhos presenciava atos de heroísmo e bravura. O gosto pela coisa nasceu com ele. Veio a conhecer os primeiros jogos de RPG quando tinha 8 anos (num sistema inventado pelo primo mais velho), e desde o momento, nunca mais largou o jogo.

8 comentários:

  1. Uma marca das minhas aventuras é a personagem Liz, sempre humana (minha raça preferida), sempre absolutamente linda e de aparência frágil, porém sempre poderosa e dissimulada. Em uma das minhas aventuras anteriores, ela era uma "acompanhante" que seduziu e apaixonou um dos regentes do país, matou sua esposa e sumiu com sua filha apenas para ter poder. Na minha campanha atual, é uma princesa que apenas deseja o poder, pretende casar-se com o principe apenas para realizar seus caprichos. E AI de quem for contra ela (seu guarda-costas é um Rakshassa).

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. otimo post!
    um "porem": os drows nao sao de forgotten realms, sao do "D&D" :D

    alias, se fosse dar um mundo pra origem deles, deveria se Oerth (Greyhawk)

    ResponderExcluir
  4. A beleza pode ser uma arma fatal! Corrigindo meu amigo Rafael, os drows são da Drowlandia. kkkkkkkKKKkkkkkkk XD

    ResponderExcluir
  5. Ainda bem que toda beleza é efêmera, pois o tempo a tudo consome.

    ResponderExcluir
  6. A Helena não foi necessariamente uma vilã, mas por causa da beleza dela uma cidade inteira morreu...

    ResponderExcluir
  7. Droga!
    Estou desiludido, jurei que os drows eram originários de faerûn. Eu julguei que fosse pq os livros do Icewind Dale são bem antigos.
    Mas valeu pela informação!
    Valeu pelos comentários também galera!

    ResponderExcluir
  8. A beleza às vezes mata... Eu acho vilões carismáticos muito mais perigosos do que os desfigurados e monstruosos orcs, por exemplo.

    Até lembrei de um outro post que fiz, justamente sobre isso: http://oclerigo.blogspot.com/2010/10/sermao-por-que-todo-o-vilao-tem-que-ter.html

    ResponderExcluir

Seja um comentarista, mas não um troll! Comentários com palavrões ou linguagem depreciativa serão deletados.