sábado, 26 de março de 2011

Aleatório: card games vs RPG, não precisa ser um confronto

Muita gente acha que esses dois combinam tanto quanto feijão com sorvete. Eu também pensava. Continuem lendo e vocês vão entender porque mudei de opinião.
____________________________________________________________

Recentemente eu vivi uma crise na minha mesa de RPG. Um dia eu esqueci de levar os dados para a sessão, daí nós resolvemos jogar assim mesmo, só na base da interpretação. O povo curtiu demais e uma enorme carga de regras foi aliviada das minhas costas, jogamos por um mês dessa forma, e o pessoal dizia estar adorando. Mas então foi ai que a desgraça se abateu sobre minha cabeça, e vinha na forma de um nome de três partes: Yu-gi-oh.

Na verdade a coisa começou antes e a culpa é minha. Alguns meses atrás meu grande amigo Lucas "Major" por um desvio do destino se viu obrigado a ir morar com sua mãe em outro estado, antes de partir ele deixou comigo o seu deck (deck é o baralho de um card game) do tal jogo, dizendo que eu treinasse porque quando a gente se encontrasse denovo nós íamos ter o maior duelo de nossas vidas (momento épico de demonstração de amizade e rivalidade camarada). Bem, eu guardei o deck com bastante cuidado, mas não toquei nele durante bastante tempo. Um dia porém o Marcos (um dos meu jogadores) perguntou pelo deck, eu mostrei para ele e jogamos uma partida (dividindo as cartas em duas pilhas de 20). Foi bem legal, apesar de ele só ter jogado o jogo em versões virtuais foi um adversário desafiador. Daí o Marcus falou para o irmão dele o Quefrem (sim o nome dele é esse mesmo), para o Jarvis e o João nos viu jogando uma partida depois e se interessou também (todos jogadores da minha mesa). Então uma bela tarde de domingo eu percebi que todos nós tinhamos desistido de jogar RPG e estávamos na sala da casa do Marcos jogando cartas de monstros.

Até eu tinha me deixado levar por isso. Certo, eu sou sempre o mestre então eu tenho um pouco aquela coisa de querer ganhar uma vez sem que os jogadores fiquem meio doidos (ok, ser mestre e brincar de deus é divertido, mas ser um jogador é uma sensação diferente). Então comecei a pensar em um meio de trazer os carinhas de volta ao RPG. O meio que eu achei foi aliar as duas coisas, card game e RPG. Veja, as cartas podem ser um recurso legal em uma mesa de RPG, e tem diversos usos. O mais óbvio é usar como recurso de apoio para ilustrar monstros, PDMs também podem se beneficiar disso e dependendo da carta até mesmo uma cena pode ser ilustrada dando um pouco mais de realismo a narrativa. É claro, nem todas as cartas servem a esse propósito e elas são limitadas assim o mestre deve ter um certo cuidado e guarda-las para os momentos mais importantes da história e tentar não "gastá-las" muito rápido.

Isso é o mais óbvio, existem outros meio pelos quais as cartas podem ajudar o seu jogo. Por exemplo como portraits para personagens jogadores, basta você pegar na internet uma carta que tenha um desenho legal e encaixe com seu personagem. Depois recorte a parte do desenho deixando o resto para lá, cole o desenho no arquivo da ficha ou em uma folha em branco mesmo e depois é só imprimir. Pronto! Você tem um portrait muito legal para seu personagem. Veja no exemplo abaixo.


Outro jeito dos cards ajudarem é com a criação de aventuras. É fato que as vezes estamos sem nenhuma idéia na cabeça e por mais que a gente tente não consegue pensar em nada, nesses caso você pode tirar 3 ou 4 cartas ao acaso, daí como você já tem uma idéia geral pode preencher os detalhes. Eu fiz uma experiência aqui com isso e o resultado foi bem legal. Na primeira vez puxei essas cartas do meu deck de yu-gi-oh.

Orc gigante
Mausoléu do imperador
Pendante Negro
Vocês conseguem ver uma aventura aí? Eu vejo. Olhem só:
"Os aventureiros são contratados pelo atual regente do reino para recuperar uma relíquia perdida na tumba de um antigo monarca do reino. Ao chegar lá eles são surpreendidos pois o lugare as áreas próximos são ocupadas por uma poderosa tribo orc. No entanto o que eles não sabem é que o perigo maior não são as craituras, mas o colar que vieram buscar."

Viram? Com um pouco de criatividade você pode transformar essas informações desconexas em uma aventura bem legal. Querem outro exemplo? Lá vai.

monarca das chamas
catástrofe malevolente
inseto comedor de homens
"Uma praga de insetos devasta as regiões agrícolas do reino causando fome generalizada. Os aventureiros vão investigar o que está acontecendo e acham indícios que os levam até um certo mago que parece ser o responsável pela praga, mas eles acabam descobrindo que o homem é um mago de batalha que nada tem haver com o problema e que várias pistas falsas foram plantadas para desviar a atençõa deles. Quem será o verdadeiro inimigo? E o mago de batalha? Será ele aliado ou inimigo?"

Bom manolos vou me despedindo por equanto de vocês. Como vocês podem ver um card game pode ajudar e enriquecer suas sessões de RPG. Não estou dizendo que você é obrigado a gostar de card games, muito menos a comprar ou usar em suas sessões, mas se você tiver pode usar para deixar o jogo mais divertido. Sinto não falar de outros card games além do yu-gi-oh mas este é o único que eu conheço bem o suficiente para falar, desculpem fãs de Magic.

PS: talvez alguém ache estranho este post sair no lugar do "balançando os esteriótipos: rangers" mas é que eu achei que seria mais interessante colocar este aqui primeiro, mas não se aflijam meninos e meninas, Hiago promete, Hiago faz. Mesmo que demore um pouco.

PS 2: não esqueçam de comentar, nem que seja para me avacalhar por gostar de card game. XD.
Hiago AzuredHiago Azured, Roleplayer 4/Powergamer 1; tendência:??? FOR 8, DES 12, CONS 10 INT 17, SAB 9, CAR 15 Além de rpgista é metaleiro, DeMolay, nerd, otaku e agnóstico. Costuma chamar as pessoas de "manolo", tem leve tendência a falar de forma exagerada, joga todo e qualquer cenário/sistema que aparecer em sua frente. Por algum motivo considera a amizade verdadeira uma forma superior de amor. Anime favorito: BERSERK. Mora no Acre e é criador do Crônicas do Nerd Perdido.

22 comentários:

  1. qd eu jogava magic, e muuuito tempo atras, tive a ideia de fazer um mundo só com os elementos das cartas. era facil (digo era pq so posso dizer das coleção antigas q eu jogava), pq vc tinha, sei la, "Heroina de Benália". bom entao temos "Benália" como uma regiao.

    "anjo Serra". temos "Serra" como um deus/deusa.

    e por ai vai.

    no fim, era muito trabalho e as aquisiçoes das caixas de campanha do AD&D fez com que o projeto caisse num abismo de esquecimento.

    mas enfim, é uma otima ideia

    ResponderExcluir
  2. oi pessoal , nossa esse poste foi algo estranho , pois ontem eu comecei a fazer umas adaptações dos cards de yugioh lá no meu blog .

    http://arenagurps.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Eu não vejo conflito entre RPG e Card Games, até porque joguei as duas coisas junto por muito tempo (parei com o card game por questões puramente monetárias).

    E juntar ambos é bem simples naverdade. Alguém já jogou Marvel SAGA? Então, o sistema não usa dados, mas sim um deck que traz eventos, situações e valores que o mestre ou os jogadores podem usar para incrementar a narrativa.

    ResponderExcluir
  4. o Dragonlance Saga é qs isso: ao inves de naipes comuns, tem naipes especificos, mas a mecanica de regras funcina perfeitamente com um baralho comum

    ResponderExcluir
  5. eu não conheço bem o mercado de card games , só os piratas que vendem em bancas de jornais mesmo , mas existem bons card games brasileiros ?

    ResponderExcluir
  6. Então pessoal, é que eu conheço um povo meio radical que se recusa a usar qualquer recurso que não seja oficial (leia-se feito pela empresa criadora do RPG). E essas pessoas costumam ter uma forte aversão aos card games.

    A intenção desse post é apenas abrir um pouco a mente dos leitores para novas possibilidades. Como disse no post eu só conheço bem o yu-gi-oh. Mas minhas fontes me informaram que daqui um tempo pode surgir algo legal no mercado misturando RPG e card game. Aguarde.

    ResponderExcluir
  7. Hiago, o post foi bom pelo tema abordado. Somente acho que você pecou no quesito de escolher Yu-Gi-Oh! Poderia ter usado como exemplo o baralho copag 139 padrão.

    Assim você possui uma vertente entre naipes e valores. Enfim se fizer outro post com o exemplo do baralho copag vai ser mais exclarecedor. ^.^

    ResponderExcluir
  8. Não gosto de Yu-Gi-Oh, mas o post ficou bem legal, o que importa é conciliar as coisas e usar a criatividade.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Eu também nunca vi o conflito entre RPG e Card Games, em todo caso a sua inspiração nas cartas é bastante válida. Gostei da forma como pode funcionar.

    ResponderExcluir
  11. AHuahuahau A receita de Mestre Walla foi massa rss

    Eu sempre joguei os dois, e acredito que magic sempre serviu de inspiração para mim... (adoro aqueles trechos que eles escrevem no final do texto das cartas rs)

    ResponderExcluir
  12. Nobre Li-San, acho que você não entendeu bem a proposta do post. Eu não tinha a menor intenção de falar sobre baralhos normais. A questão era mostrar como jogos de cartas colecionáveis podem enriquecer uma mesa de RPG, ajudando o mestre e os jogadores a visualizar certas situações. É claro que dá para usar as cartas substituindo os dados, mas a intenção do post não é essa. Nos meus posts eu gosto de colocar coisa que deem uma chacolahada na mente do pessoal, que abra seus olhos para novas possbilidades, novos pontos de vista; eu raramente falo de regras. Porque você acha que meus posts são aleatórios? Espero que entenda meu ponto de vista.

    PS:kkk, legal a receita de sorvete de feijão mestre Walla. Normalmente quando alguém diz feijão eu penso no tipo preto, mas o vermelho é feijão também então tá valendo!

    PS 2: é isso aí povo, card games são legais, RPG também, porque não misturar os dois? Com uma bela dose de bom senso no meio é claro!

    ResponderExcluir
  13. Ótimo post, Hiago :D

    O negócio mesmo é misturar o que é bom pra ver o que sai no resultado. Fora que eu sempre achei que cardgames colecionáveis e RPG têm bastante a ver um com o outro: em Yu-gi-oh e Magic, encarnamos o papel de conjuradores que lutam com seus feitiços e invocações. Acho que isto nos lembra de certos magos que vemos em certos livros de regras por aí xD

    ResponderExcluir
  14. Bom, também não vejo batalha alguma entre rpgistas e cardgamers. Na verdade, no início da minha carreira gamística eu jogava os dois. Mai verdade ainda, eu jogava Spellfire e Magic, além de RPG.

    Mas tenho uma pergunta: o que é yu gi oh?

    ResponderExcluir
  15. Tomando a liberdade de responder, se o dono do post não ver problema nisso, Yu-gi-oh é um jogo de cartas japonês baseado em Magic, criado em 1996, se não me engano. Tem o anime também, mas lá, pelo menos nos primeiros episódios, as regras são sem sentido...

    É legal de jogar, e agora senti saudade do meu baralho e dos confrontos que demoravam 1 ou 2 horas contra um amigo /:

    ResponderExcluir
  16. Nem. Tá tudo certo Encaitar, você é meu parceiro, você e todo mundo que gosta de RPG e tem um pouco de noção na cabeça. Tava pensando agora, feijão é igual a dragão de D&D; tem branco, preto, vermelho, verde...

    ResponderExcluir
  17. eu aprendi a jogar yuguioh no game boy advanced, hu hu hu

    nao gastaria um centavo comprando as cartas, contudo.

    ResponderExcluir
  18. Uma idéia interessante Azured!
    Por mais que eu ache Yugi meio estranho, hehe.
    Nas minhas sessões se encaixaria melhor usar magic como referência.
    O problema maior está na forma como alguém que joga card games desde que é gente vê o RPG quando começa a jogar.
    O Card game é baseado apenas em uma disputa, onde o mais habilidoso (melhores cartas, conhece melhor o deck) ganha o jogo...
    De certa forma, esses tios que só jogam card só querem ser melhores que os outros na mesa...
    Longe de mim botar todos que jogam card games dentro do mesmo saco, mas as minhas experiências me levam a concluir que RPG e card games são coisas totalmente diferentes, e um rouba a clientela do outro...
    Hhaushuahsu

    ResponderExcluir
  19. Para mim, os TCGs e os RPGs serão eternos rivais. Isso ocorre porque ou compro cards ou livros :s
    Por isso minha vida é tão atribulada, acho...

    ResponderExcluir
  20. cara esse cara do texto tem a vida igual a minha no entanto o jogo é criado por uma pessoa que consideram cientistas, pra mim...ele é pai kk
    é muito bom esse jogo e em breve vai ter um site só para esse jogo
    espero que vcs gostem!!!
    meu nome é neto e meu MSN:neto-2008_@hotmail.com

    ResponderExcluir
  21. tomare que remy tenha ganhado poder tanto quanto eu

    ResponderExcluir
  22. aaaaaaaaaaaaaaa meu anunciou o campeonato imagine,imagine aaaaaaaaaaaaa tudo que eu imagino são negativos aaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir

Seja um comentarista, mas não um troll! Comentários com palavrões ou linguagem depreciativa serão deletados.