domingo, 21 de agosto de 2011

Post da Leitora: Mestre de Primeira Viagem - Parte I


Olá, pessoal... Hoje vamos estrear a nova seção do blog com um post da leitora Bel, que dá dicas importantes para os mestres que estão iniciando neste universo fantástico do RPG. Confiram comigo o restante da matéria...


Mestre de primeira viagem: Como embarcar nesta furada aventura e sair sem afundar o barco.
Às vezes, é difícil segurar o leme.


Escrevo este post não com o intuito de ser um guia perfeito e muito menos com a pretensão de um mestre experiente. Busco, simplesmente, narrar a minha primeira experiência como mestre, e trazer o que me ajudou a superar o trauma o desafio de mestrar D&D 3.5 pela primeira vez. =^:^=


Primeiro de tudo, o que leva um indivíduo a querer mestrar?


Pode ser vontade de experimentar o outro lado do jogo; vocação (acreditem, existe!); boa índole (porque dá um bocado de trabalho); ou, apenas, a boa e velha necessidade (como no meu caso: 8 meses de seca e nenhum mestre a vista).

Independente de qual seja a motivação, mestrar pode ser muito divertido e gratificante, e não precisa ser um bicho de sete cabeças. Além de tudo, tenho que confessar, é divertido ver os PJ's apertados com uma situação que você criou.


Preparativos Básicos:

•Escolha um sistema que você conhece e se identifica. Afinal, já estar familiarizado com as regras sempre ajuda.

•Estabeleça as regras de criação de personagens: pontos de habilidades/atributos, raças e classes permitidas, entre outros. É a sua mesa, e isso lhe permite aplicar as regras que melhor lhe agrada. (eu prefiro utilizar as regras padrões de criação de personagem, assim ninguém pode reclamar).

•Saiba o que você está disposto ou não a ceder para os jogadores. Acredite, todo jogador “chora” algo mais, então pense no que você pode dar (ou não) a eles. E seja justo, nada de beneficiar um jogador em detrimento dos outros.

•Revise a aventura que vai narrar antes da sessão, isso vai te ajudar a ficar mais seguro.

•Faça pequenas anotações sobre a descrição dos lugares, servirá como guia na hora de descrever os mesmos para os PJ's e você não fica perdido no seu próprio mundo.

•Revise as regras de combate, eles vão existir e não dá pra parar no meio do jogo pra saber se algum movimento é permitido ou não.

•Anote a pagina da tabela de encontros aleatórios (se houver). Criar um encontro do nada, às vezes é necessário, seja por que mataram o seu 'monstrinho' rápido demais, ou por que o jogo tá meio parado.

•Revise as fichas dos PJ's. Pode ter algum erro inocente nelas.

•Faça anotações sobre os PJ's, habilidades especiais, habilidades de raças, PV's, TR's, itens mágicos, perícias, entre outras. Você vai precisar dessas informações durante o jogo.

•Tenha as estatísticas dos monstros e dos PdM's que vai utilizar.

•Tenha anotado os PV's dos monstros e inimigos para ir descontado a cada dano. Nada de guardar tudo de cabeça, vai acabar esquecendo e confundido os números.

•Seja organizado. Tenha os mapas, fichas, estatísticas e tudo o mais que for necessário para a sessão guardado de forma organizada. Isso facilita e muito a consulta na hora do jogo e não se perde tempo revirando papéis.

•Seja seguro! Mesmo se não tiver a mínima noção do que esta fazendo. Se você parecer seguro em suas decisões, os jogadores confiarão no seu discernimento. Se você parecer em dúvida, eles irão questionar tudo o que acontecer.





Galera, é isso aí. Espero que tenham gostado.


Não percam a segunda parte deste post onde Bel nos fala como foi sua primeira experiência “atrás do escudo” e deixa à dica de um novo “Grid de Batalha”, sinceramente, o grid foi à primeira vez que eu vi =D...


Até o próximo post, pessoal...







DruidaO Druida já era um druida antes mesmo da chegada da 3ª edição. Desenhista, escritor e professor de artes marciais é também fã de quadrinhos, pintura, literatura, poesia, músicas new age e principalmente RPG. Passou alguns anos tentando construir um PdM épico para sua campanha de DeD 3.5, mas nunca conseguiu calcular corretamente seus talentos, perícias e magias. Acabou desistindo e abraçou o movimento Old School.

14 comentários:

  1. \o/ ISSA AEEEE Gostei de ver heim!!

    ResponderExcluir
  2. todos os itens q a bel listou sao realmente importantes.

    destaco o ultimo: sendo seguro, vc ainda por cima faz com que o jogo corra num bom ritmo.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelos comentários possitivos. =^:^=
    Mestrar é uma experiência diferente, mas não menos divertida ou gratificante.
    Realmente estou gostando bastante do 'novo cargo', por assim dizer.
    Espero que também gostem da 2 parte do post.
    Até.

    ResponderExcluir
  4. Se candidata para autora do blog http://oclerigo.blogspot.com/2010/12/anuncio-quer-ser-um-autor-no-blog-do.html

    ResponderExcluir
  5. mestrar realmente é bem com plicado, mas seguindo esse poste tendo boa vontade(pq eu gosto de mestrar)se consegue fazer isso com uma certa tranquilidade :D

    Muito bom Bel ^^

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito do post e das dicas, algumas delas eu ja tinha por experiencia propria (como a de revisar as fichas dos persongesns, coisa que tem mil e uma utilidades).
    Eu mestrei mais que joguei com certeza, joguei uma vez na vida e depois so narrei (por uns 2 anos) até que agora to jogando e narrando.
    Sempre que passo muito tempo de narrar eu sinto falta hehe.
    XD

    ResponderExcluir
  7. Bel! \o/
    Legal, acredito mesmo que a organização pro mestre de primeira viagem deva ser uma dica muito valiosa, mas uma delas que servem para todos eles com certeza é essa:
    "•Revise as fichas dos PJ's. Pode ter algum erro inocente nelas." Ou não tão inocente assim... Hahahahahahah....

    ResponderExcluir
  8. Bel, suas dicas foram ótimas! Aprovadas pelo clérigo!

    Assim como a INapta, gostei especialmente da que fala para procurar os erros "inocentes" nas fichas dos PJs, rsrsrs.

    ResponderExcluir
  9. @ Red Dragon: Obrigada pela sugestão. E te garanto que já analisei a possibilidade com muito carinho ; )

    @ Medieval Tales / INapta / Clerigo: Revisar as fichas é realmente importante, eu mesma achei alguns erros nas dos meus jogadores. E, bom, esse erros realmente nem sempre são tão inocentes.

    @ Todos: Que bom que vcs gostaram do post e o acharam útil. Tava meio nervosa de parecer uma pentelha falando de algo que nem entende. No momento estou no 7th céu com comentários tão fofis.... (ainda mais que minhas dicas foram aprovadas pelo Clerigo ^^)

    E não se preocupem vcs ainda ouvirão muito falar de mim.....
    =^:^=

    ResponderExcluir
  10. Para uma mestra de primeira viagem, uma jogadora de primeira viagem!!!

    Sou da mesa da Bel e estou iniciando no mundo de RPG de mesa (joguei alguns RPG on-line, mas só!)
    Ela é realmente muito organizada, exigente e conhece muito as regras, como boa nerd viciada em DeD... (ops =x) e isso nos ajudou a entrar no clima, além de nossos personagens ficarem coerentes! A aventura foi ótima e estamos com água na boca para a próxima sessão e, também, o próximo post!

    E, reforçando, não temos mesmo criatividade para apelidos! Afinal, minha barda se chama Bel (foi acidente, juro! Tinha um contexto forte e nem a mestra conseguiu vetar! =D) e meu apelido aqui (Ro). Oh, shit! Temos que trabalhar nisso! kkkkkkk

    ResponderExcluir
  11. Aliás, alguém conhece algum truque, feitiço ou magia pra fazer o Paladino ficar calado umas 10 rodadas (pelo menos)??? É sério, é uma emergência, senão serei forçada a cortar a língua dele fora! =D

    ResponderExcluir
  12. @Ro: a melhor magia contra paladinos falastrões se chama Espada de dois Gumes, e pode ser usada por qualquer guerreiro do grupo :P

    ResponderExcluir
  13. Eu estava pensando nisso, mas achei meio radical =D

    ResponderExcluir

Seja um comentarista, mas não um troll! Comentários com palavrões ou linguagem depreciativa serão deletados.