quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Conversa de Taberna: O Vilão morreu, e agora?



Cria-se um Vilão destinado a grandes feitos/vilanias/maldades e alguns aventureiros sem coração encerraram sua carreia prematuramente. O que o Mestre pode fazer a seguir?

Imagine a seguinte situação.

Seus jogadores vão enfrentar seu adorado PdM. Aquele que vc passou horas elaborando, que dedicou tempo, sangue e suor. Aquele destinado a grandes vilanias no decorrer da história, e está e só sua primeira aparição. E esta tudo preparado. Usou-se uma magia de banimento para mandar o paladino assimar pro extra-planar, feitiço de medo no guerreiro (isso vai manté-lo correndo por umas rodadas). Só sobraram a barda e o ranger. É nessa hora que você pensa: "Nosaaaa, eu vou moer esses aventureiros!!!!" Afinal, é pra isso que o PdM tá ali. Mas, é o turno da barda, então você se contem um pouco, mal escondendo o sorriso de satisfação.

Mestre: "Então barda,o que você faz?"
Barda: "Eu ataco ele com minha besta leve."
Mestre (sorrindo de orelha a orelha): "Tudo bem, role o dado"

O jogador rola o ataque e tira um 20. Sobe aquele frio na espinha, contudo, você pensa, "Tudo bem, um crítico não vai o matar".

Mestre: "Rola de novo pra confirmar."

O jogador rola e tira um outro 20. A barda, com o menor BBA do grupo, acabou de explodir o PdM chefão com um virote de besta.

O que você faz?

a) Levanta e estapeia o jogador.
b) Pega o livro dos monstros e diz que do nada apareceu o Tarrasque.
c) Levanta as mãos ao céu, pergunta: "Por que?" aos deuses do RPG e chora feito uma criancinha.

Estapear Jogador: Uma arte milenar em 4 lições básicas
  
Qual foi o mestre que nunca passou por isso? Seja em D&D (como no exemplo citado) ou em L5R (quando os dados explodem) acontece um 'golpe de sorte'. Os dados simplesmente selam o destinado de determinado PdM e não existe nada que possamos fazer a respeito. Ou será que existe?

Infelizmente as opções dadas anteriormente não são viáveis, seja porque vc não pode dar uns cascudos no jogador, pois ele é seu amigo, além de lesão corporal ser crime, seja porque simplesmente trazer um novo inimigo da profundezas é muito Deus Ex Machina, e bom, chorar depois dos 2 anos não resolve nada. Nestas horas o melhor é lidar com as perdas e enfrentar os danos colaterais.

O Primeiro passo, é a aceitação. Aceite que o seu adorado PdM acabou de ir pras cucuias sem ter cumprido completamente o seu papel. E toda a saga que foi preparada, incluindo os mapas arduamente desenhados (ou furtados), os encontros determinados, e as recompensas calculadas, se tornou obsoleta.

Porém, este pode não ser o fim.

O PdM pode ser ressuscitado por algum clérigo maligno e voltar para se vingar dos PJ's (afinal, não são só os jogadores que tem acesso a este tipo de magia).

Esta parece a opção mais fácil, mas nem sempre é possível, uma vez que muitos sistemas não possuem tal possibilidade.

Nestes casos, o mestre pode trazer algum discípulo do PdM que pretende prosseguir com os planos de seu predecessor (e coincidentemente eles tem quase a mesma ficha).

Os aliados do PdM injustiçado podem ir atrás dos entes queridos dos PJ's (personagens malignos também tem amigos).

Ou, então, podem descobrir que, na verdade, o PdM estava sendo manipulado pelo verdadeiro ente malévolo (nada como acabar com um inocente para tirar o sono de um PJ).


 Apocalypce: o verdadeiro vilão por traz de várias mentes

Quem sabe, um grupo de mercenários ficou sabendo dos feitos dos PJ's e vão fazer de tudo até que eles aceitem um duelo (quem disse que só se tem boas repercussões de suas ações?).

E o mais básico de todos, sim os PJ's derrotaram aquele PdM, agora novos desafios surgirão e outros inimigos ainda mais poderosos aparecerão para desafiar os jogadores. Lógico, aproveitando alguns mapas de Dungeons já previamente elaboradas.

O que importa é que a morte de um PdM, mesmo de forma tão repentina, pode gerar bons frutos e ganchos para futuras aventuras, e o que se seguira a partir desta depende de cada mestre e de cada jogo. Um coisa é certa, PdM's geralmente encontram o seu fim (no futuro e não assim tão fácil), então é bom irmos praticando a arte do desapego a medida que os criamos. Apesar de que ver-los morrer pela primeira vez até dói um pouco.

Nestas horas eu gosto de lembrar do seguinte ditado: "Quando Deus tira uma porta, abre um janela". Tenho certeza que não foi neste sentido que foi criado, mas com certeza se aplica, ahh como se aplica.

Apesar de, eu juro, que na hora que eu vi aquele segundo 20 a minha vontade foi fazer a seguinte narrativa:

"Barda, você vê o virote sair de sua besta e viajar certeiramente até o inimigo. Ele é atingido na garganta, você vê que o projétil a atravessa de fora a fora. Os Deuses com certeza olham por vc hoje barda. O seu inimigo leva a mão ao ferimento, te olha com um olhar vidrado, dá um passo e estende um mão em sua direção, em seus lábios uma última maldição. Seu joelho vacila e ele começa a tombar lentamente... Nesta hora você barba, atingi o chão e acorda assustada. Tudo não passou de um sonho e você acabou de cair da cama. O grupo ainda esta na estalagem, é a manhã do dia anterior e...."

Bom, eu não fiz isso, mas que tive vontade tive.... :p

Bom, pimpolho, comentem e deixem suas sugestões de como sair desta saia justa, porque ando precisando de umas idéias. Ainda mais que já começei as contruções da dungeon-mor e preciso de um "chefe". =^:^=

Postado por Bel, revoltada com a jogadora/melhor amiga
BelBel é uma leitora compulsiva, e aficionada por RPG, HQs, séries, filmes e outras nerdices em geral. É apaixonada pelo Drizzt Do Urden e por sapatos. Além, de ser péssima com nomes e incapaz de, até mesmo, criar um apelido decente.

18 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkk, estapear jogador em 4 lições básicas me racho de rir ^^

    Mas é complicado passar por esta situação, mas como o fato acontece, o negócio é seguir em frente e criar uma nova trama, sem desperdiçar o que você escreveu ^^

    ResponderExcluir
  2. Pois eh... a primeira perda sempre é a mais difícil... >___<

    Até hj eu não sei bem o que fazer... acho que o jeito é mesmo seguir em frente.

    Ah... essa ideia de um vilão maior por trás dos panos... Fiz isso uma vez e foi bem legal. O grupo realmente gostou do novo desafio. ^__^

    ResponderExcluir
  3. É pra evitar essas situações que existe o teletransporte.
    haushauhs
    Quando vê que o vilãozinho vai morrer, "Tzum"!
    Foi pra outro lugar fazer suas maldades. Os jogadores vão ter que encontrá-lo novamente, mas aí ele terá novos aliados e um poder superior... E teletransporte de novo!

    ResponderExcluir
  4. É brochante pros jogadores essa do teletranporte... Mas faça eles terem raiva do vilão, pra perseguirem ele até no´pós-vida!
    Fazer o vilão matar entes queridos sempre funciona, além de humilhar.
    (Corta a barba do anão, dá tapa na cara do bárbaro, dissipa a magia do mago e desafina o bandolin do bardo! Não se esqueça de encontrar o ladino no seu esconderijo)

    ResponderExcluir
  5. Ah, nunca esquecendo da possibilidade de fazer o vilão voltar como um morto vivo, cheio de fúria em seu coração atrofiado.

    Pô, 3 comentários num tapa! Eu mereço um bom vinho por conta da casa!

    ResponderExcluir
  6. KKKKKKKkkkkkkkkkKKKKKKKKKK

    Fazer o vilão ser inicialmente um aliado eh uma boa tatica pra deixar os jogadores furiosos... Pois na hora H ele se mostra o grande vilão manipulando a tudo e todos...

    Grandes vilões garantem belas memorias ...

    ResponderExcluir
  7. Bons vilões nunca morrem, contrariam as regras de qualquer sistema e se duvidar até as leis da física KAPOKPOAkPOKapoOPaopK

    ResponderExcluir
  8. É... Já passei por isso, mas jogando Vampiro: A Máscara XD. Só que meu problema não foi com relação aos dados do jogador (que era meu irmão), mas sim porque dei mole numa das ações da "chefona" e ele me quebrou as pernas com o Lasombra dele. O que aliviou em partes era o fato de ser apenas uma sessão com começo, meio e fim para apresentar o sistema há alguns jogadores.

    ResponderExcluir
  9. @Cavaleiro Ah essa do teletransporte é um pé no saco! Uma vez nosso grupo tava fugindo duma caverna desmoronando, e quando saímos pra fora, tava o chefão malvado, invocando um dracolich!

    Bom, o mago do grupo também lidava com necromancia, e acabo dominando o dracolich do chefe! Aí nos pensamos "AGORA VAMO CAGA A PAU ESSE LOKO"

    Bem, sequer chegamos perto de encostar nele...kkkkkkkkkkkk, mas ficamos com um dracolich de Pet por um bom tempo ^^

    ResponderExcluir
  10. Eu faço todas as opções descritas, mas não necessariamente na mesma ordem...

    ResponderExcluir
  11. É nessas horas que se descobre que o vilão tinha um filho que não ficou nada feliz com isso e resolveu se vingar do grupo, ficando mais forte que o pai para poder matar os assassinos.

    Outra coisa que pode ser feita é colocar o peso da morte do vilão nas costas do grupo. E se esse vilão era maligno naquelas partes, mas era bem visto em uma outra comunidade que o grupo visitará posteriormente? E se o grupo descobre que um deles, aquele que não conheceu os pais (sempre tem um no grupo, é de praxe) descobrir mais tarde que o pai era o cara que ele matou?

    ResponderExcluir
  12. Ótimo post Bel, já passei por essa situação antes, realmente é triste para nós mestres quando isso acontece. Depois disso fiquei escolado e dava sempre um jeito do vilão se precaver contra uma morte prematura.

    Vi alguns citando a fuga do vilão; o grande problema é que se esse recurso for muito utilizado, os jogadores podem ficar entediados e até perderem o ânimo pelo jogo. Afinal, vilões foram feitos para serem vencidos.

    ResponderExcluir
  13. Quando um vilão que não era para perecer, morre, como mestres, temos que lidar com a situação e criar novos desafios.
    Obrigada pelos comentários e sugestões, já estou tendo ótimas ideias para a proxima aventura. ^^

    ResponderExcluir
  14. Se eles matam o vilão de primeira... logo depois descobrirão que era apenas um servo do maledeto-mor, whuahwuhawuha!

    ResponderExcluir
  15. tipo, tirar dois 20 não da morte automatica...
    nesse caso foi uma house rule furada mesmo
    foda é num RPG tipo savage worlds, vc tiver muita sorte nos dados o vilão mor do mestre voa no pau rapidinho. jogando deadlands em savage worlds aconteceu isso, meu pistoleiro detonou os irmão chuck e norris com uma saraivada de balas so. ri litros :P

    ResponderExcluir
  16. Que eu lembre, no D3.5 tem a regra de tirar 20, 20 e se acertar a terceira é que dá morte automatica. Mas é regra opcional tambem xD

    Eu tirei essa regra da mesa faz tempo. Até por que o que vale pra jogador vale pra npc, e eu costumava rolar 20's seguidos. Daí perde a graça ._.'

    ResponderExcluir
  17. Não fui eu, não fui eu! Juro!

    Tá bom, fui eu, foi mal.

    Isso não se chama golpe de sorte, se chama golpe de desespero!!! kkkkkkkkkkk

    O que mais eu poderia fazer com um orc mal, 14 PV e um ranger fedido e mal humorado???

    Aliás, quase fiquei até com pena do "pobre vilão" da primeira figura, mas uso tão pouco minha consciência que a bichinha atrofiou, não serve mais pra nada! Então, se estavam tentando me matar, bala neles! To nem aí se tinha família, filhos e uma vozinha idosa pra sustentar!

    Xero!
    =D

    ResponderExcluir
  18. "@Red Dragon disse...
    Bons vilões nunca morrem, contrariam as regras de qualquer sistema e se duvidar até as leis da física KAPOKPOAkPOKapoOPaopK
    15 de setembro de 2011 12:13"

    Neste momento uma jogadora muito triste com tantas possibilidades horríveis que emanam dessa afirmação... =~~

    ResponderExcluir

Seja um comentarista, mas não um troll! Comentários com palavrões ou linguagem depreciativa serão deletados.