quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Conversa de Taberna: Resenha Lajedos & Largatos


Olá pimpolhos de plantão! Hoje tenho a honra e o prazer de trazer uma resenha do inusitado “Lajedos & Largatos”, o RPG Cabra da Peste, do Daniel dos Santos Nóbrega do Pensotopia


Como dito pelo próprio Daniel: “Está e a versão 0,1. Porém não se engane, tem muita coisa para uma versão de apreciação.”

E realmente há muito material, são 88 páginas de um RPG inusitado e muito divertido que retrata com maestria a cultura nordestina.

Sinceramente, eu adoro a capa do material (e os outros desenhos) é simples, contudo com um toque bucólico e meio rústico que instiga a curiosidade.

Nas primeiras páginas temos o conhecido “O que é RPG?” (que nunca pode faltar), e a explicação da linguagem do jogo que ressalta que a linguagem utilizada neste RPG foge deliberadamente das normas ortográficas vigentes, a fim de transmitir de forma mais consistente o linguajar do nordestino (que, como em cada região do Brasil, se apresenta de forma única), ressaltando, também, que o jogo se passa no Nordeste fantástico, onde encontram-se vivas as lendas e folclores desta região (então, vamos utilizar o linguajar nordestino, ou pelo menos tentar).

Neste jogo a figura do mestre é substituída pelo “Conversador” e a tarefa do Conversador é ajuntar cruzar as historias dos personagens em uma só e dar um nó cego nelas.

Os personagens de L&L são construídos de maneira aleatória usando um baralho. Possuem seis atributos, associados às cartas que o jogador escolheu e diversos habilidades auxiliares. Em L&L pode-se criar qualquer personagem que seja inspirado nas tradições literárias e orais nordestinas, tais como: um retirante da seca que fugiu de sua antiga cidade, arrasada pela morte; um velho ignorante que odeia perguntas impertinentes; uma cangaceira vaidosa e temperamental; um lutador de capoeira capaz de esquivar de balas; etc... As possibilidades são infinitas.

Lajedos & Lagartos é um RPG que usa cartas de baralho para as suas jogadas (aquele baralho que você compra no mercadinho da esquina mesmo), ao invés dos tradicionais dados multifacetados. As Cartadas são os testes de L&L.


Cada jogador manterá durante o jogo uma mão de cartas, do mesmo jeito de uma partida de baralho. As cartas são usadas para superar desafios e usar habilidades. As cartas que não estiverem na mão dos jogadores, estarão no monte, todas viradas de cabeça para baixo. As cartas usadas vão para o descarte, viradas para cima.

O Conversador não tem uma mão de cartas como os outros jogadores. Se precisar fazer um teste, ele saca do monte. Quando as cartas do monte se esgotam, o descarte é reembaralhado para formar um novo monte de cartas. O numero de cartas da mão do jogador e determinado pela Carreira do Personagem.

O jogador recebe nove cartas para fazer a ficha, separa três da mão, que não poderão ser iguais e guarda. Ele usa as outras seis para os atributos e as dispõe como quiser. Os atributos dos personagens são seis:

  • Bruteza --> Representa o instinto de destruição que o personagem tem. E o atributo responsável por causar dano e realizar qualquer coisa que envolva a forca física.
  • Ligeireiza --> Determina a velocidade, esquiva e mira dos movimentos.
  • Disposição --> Determina qual a capacidade de resistir a ferimentos, lutar mesmo perdendo sangue e sobreviver a golpes mortais por milagre.
  • Cultura --> Indica um misto de capacidade intelectual, moralidade, sabedoria e formação acadêmica do personagem.
  • Vivência --> É o conhecimento secular aprendido e mantido oralmente através das gerações. A Vivência é o arcabouço da produção cultural da coletividade e das tradições comuns a um grupo de indivíduos.
  • Sabidoria --> É o atributo que define quão boa é a conversa do personagem é. Mede a presença e a espirituosidade deste e a capacidade que tem de influenciar os outros.
As três cartas que sobraram, das nove recebidas, serão usadas para determinar detalhes do passado e presente do personagem que se dividem em: Família, Fama, Sequela e Condição. Os naipes destas cartas serão usados para determinar os antecedentes do personagem.

Depois de definidos os atributos, escolhe-se uma raça a qual pertence o personagem. A raça modifica os atributos e determina uma aparência geral e os trejeitos, que influenciam no jogo. As raças são sete: Amarelo, o tatu enfezado; Nêgo, o tição apagado; Cabôco, o cabeça de bater-sola; Galego, a barata descascada; Mulato, a venta de telha emborcada; Tapuia, o cabelo de cuia; e Cristão-Novo, o cotoco do cão.

A seguir, o jogador deve escolher um estado nordestino. Isso determina a origem do personagem, qual a mistura do sangue e elementos culturais. A terra a qual pertence exerce um poder sem paralelo na formação de caráter, habilidades e força do personagem. Tal como as pedras e os rios, a carne e sangue deles são lapidadas pelos ares puros e história gloriosa do estado natal. Mesmo próximos, os estados têm distintas características e peculiaridades no sotaque. A terra natal serve para determinar como o personagem recupera a mão de cartas. Se estiver agindo conforme a conduta, poderá comprar uma carta, sempre que gastar uma.

Agora, é a vez das carreiras (que lembram as classes). São onze carreiras: Alumioso; Beato; Cabra-macho; Capoeirista; Cantador; Catimbozeiro; Doutor; Grosso; Rezador; Presepeiro e Vaqueiro.

As carreiras são divididas em 10 degraus. Quanto mais alto o degrau mais conhecido, forte, influente, respeitado e temido será. Cada carreira dá acesso a certas categorias de Fuleragens e Perícias.

Cada Carreira de Personagem possui uma quantidade de Sangue, representa quanto de ferimento um personagem pode sofrer. Cada personagem começa o jogo com 10 taiadas de sangue ou “ts”(Olha que eu te taio com a pexêra!!).

No decorrer do jogo, a quantidade de sangue que um personagem pode perder aumenta.

Vale ressaltar, algumas outras regras complementares do L&L.

Proteção é o valor que precisa ser obtido numa cartada para afetar um personagem de alguma forma. Existem quatro tipos de proteção no jogo e cada uma te protege de uma forma de ataque:
  • Pinote --> refere-se ataques físicos que você pode se safar saindo da frente. É a dificuldade para Cartadas de Peleja (a boa e velha briga).
  • Providência --> é a proteção para ataques que afetam a integridade e a saúde do corpo. É a dificuldade para Cartadas de Raiva.
  • Juízo --> é a proteção contra qualquer tipo de influência que afete as emoções, razão ou raciocínio. É a dificuldade para Cartadas de Tapia (sabe, blefe).
  • Anjo da Guarda --> é a proteção para as coisas que afetam o espírito, contra o qual o corpo não tem resistência. É a dificuldade para Cartadas de Mistério.
As Perícias determinam, como sempre, o que o personagem sabe fazer (são chamadas: “Perícias Lá de Nós”). Uma perícia garante ajuda na cartada ou poupa o personagem de ter que dar cartada em ações mais simples. Em Lajedos & Lagartos todos os personagens sabem fazer um pouquinho de tudo, porque no Nordeste os cabras são desenrolados. As perícias são divididas em quatro grupos. Cada grupo tem um naipe associado, que serve para o Conversador determinar o desafio da cartada.

Toda pessoa tem sempre uma coisinha que a torna diferente das demais. Em L&L esses detalhes vantajosos são chamados de Fuleragens.

Fuleragens são todas as coisas que um personagem pode fazer que ninguém mais sabe. São habilidades extraordinárias, poderes sobre-humanos, ajudas de outro mundo, conhecimentos ocultos, ciências sobrenaturais ou só cagada mesmo.

Por ultimo, temos as Tendências Morais. A tendência moral diz quais as ações que um personagem pode realizar. Violar a tendência moral é quase impossível para um nordestino. As tendências morais são três:
  • Direito --> O personagem não gosta de mentira, nem de safadeza. Não gosta de ver os pobres e desprotegidos sofrerem. Uma pessoa ser correta não significa que ela seja passiva. Personagem com esta tendência pode matar alguém que faça o mal aos outros ou dar uma surra em gente sem vergonha.
  • Sonso --> O personagem com esta tendência procura se adequar à situação. Não costuma mentir, nem omitir, apenas para proteger alguém. O personagem não tem muita consideração por quem não conhece, podendo ofender ou desdenhar de estranhos. Com os amigos é um aliado fiel e confiável, desde que recebe o mesmo tratamento.
  • Ruim --> O personagem não tem vergonha na cara. Se alguém o desagrada, ele procurar acabar atormentar a vida do infeliz, ou mesmo fulminá-lo para que sirva de exemplo aos outros. É arrogante e gosta de humilhar os mais fracos, mesmo que seja a pessoa que ame.
Bom, pimpolhos, está é uma pequena parte da previa do RPG Lajedos & Largatos, apesar do post ter ficado gigante, mas que é tanta coisa legal sobre o que se falar, que não da vontade de parar de escrever nunca.

Para aqueles que desejem conhecer L&L mais a fundo, podem fazer o download aqui.

Relembrando que está é uma versão para apreciação e que o livro ainda vai ser complementado e lançado em breve.

Espero que tenha gostado e que queiram conhecer cada vez mais este universo tão rico da cultura Nordestina apresentado neste RPG Cabra da Peste. ^^

Postado por Bel, a pexêra mais rápida do sertão.
BelBel é uma leitora compulsiva, e aficionada por RPG, HQs, séries, filmes e outras nerdices em geral. É apaixonada pelo Drizzt Do Urden e por sapatos. Além, de ser péssima com nomes e incapaz de, até mesmo, criar um apelido decente.

11 comentários:

  1. Bucólico, bem humorado e recheado de cultura regional. Muito interessante.

    ResponderExcluir
  2. Arre égua, arretado de bom este tal L&L
    Deve di sê mucho do divertidio essa bexiga.

    ResponderExcluir
  3. Haha, parece bem legal. O pessoal aqui do Acre deve gostar bastante desse jogo já que temos uma ascendência nordestina bem forte, meu avô por exemplo é um legítimo cearense que mesmo depois de 30 anos na amazônia ainda come rapadura com farinha.

    ResponderExcluir
  4. Genial. Espero que este projeto só cresça.

    ResponderExcluir
  5. Enquanto eu baixei e li a primeira página, a Bel já baixou, leu o livro inteiro e ainda fez a resenha! Isso sim é multitask XD

    Faz tempo que eu acompanho a proposta do Danielfo e fiquei muito feliz quando ele disse, 7 semanas atrás, que ia dar a si mesmo o tempo de 7 semanas para escrever o livro. E não é que o cabra é direito mesmo: foi lá e fez!

    Vou ler o ebook inteiro com mais calma, mas já to me mordendo pra marcar um playteste.

    ResponderExcluir
  6. Muito boa a resenha, eu dei uma lidinha no livro e achei genial, e fico feliz que as iniciativas brasileiras estejam crescendo cada vez mais nesse novo auge rpg no país.

    ResponderExcluir
  7. Beleza... Vamos jogar uma campanha de Cordel Encantado XD

    ResponderExcluir
  8. Nossa, já tava adorando as prévias do Danielfo... agora que saiu a versão 0,1 eu vou me esbaldar!!!!

    ResponderExcluir
  9. Obrigado ao Clérigo e a Ordem do RPG, por não deixar esse blogueiro sem instrução vendendo o RPG dele cantando na feira de sábado. kkkkkk.

    Em breve, a ficha e uma aventura pronta, bem bonitinha pra vcs.

    ResponderExcluir

Seja um comentarista, mas não um troll! Comentários com palavrões ou linguagem depreciativa serão deletados.