sábado, 31 de julho de 2010

Diário de Campanha: Dark Sun - A Fúria do Andarilho do Deserto - 4ª parte

Bom, chegamos a penúltima parte da fuga dos jogadores no terrível deserto de Dark Sun, esta parte que trouxe muitos problemas e teve  o confronto mais difícil para todos. Não percam pois foi uma das sessões mais divertidas de todas.




Contratempo no Deserto
O calor excessivo e os poucos mantimentos que o grupo tem são um grande problema após tanto tempo correndo em uma fuga desesperada. Barcan, Phye e Jarvix seguem mais a frente, resistindo melhor a todas as adversidades. Já Castri, Shikirr e Yuka, não tem a mesma sorte. Aos poucos eles vão ficando cada vez mais para trás, mais cansados e fadigados, até o ponto de pararem. A visão deles fica mais embaçada, e ao longe, totalmente fora do caminho que estavam seguindo, os três vêem um grande lago, com várias palmeiras e sombra, uma ótima proteção contra o sol e talvez até contra a tempestade de areia.
Percebendo que seus companheiros ficaram para trás, Barcan mostra para Phye e Jarvix os seus companheiros olhando fixamente para o horizonte com um sorriso de alegria.

Em seguida eles começam a se mover para a miragem. Barcan vem até eles e tenta mostrar que não há nada naquele lugar, mas seus companheiros não dão ouvidos. Jarvix e Phye se juntam a Barcan, bloqueando o caminho dos companheiros, mas em um momento de total falta de lucidez(que acabou ajudando), Castri fala para seus companheiros: "Olhem para lá, o lugar está cheio de bebida e comida, água no lago e cocos nas palmeiras". Não sendo perdoado pelas risadas de todos na mesa, mas com isso ele voltou a sua lucidez e percebendo que palmeiras não dão cocos, ele deixa de ser enganado pela miragem. Mas Shikirr e Yuka continuam obcecados pela miragem, e tentam novamente ir até ela. Barcan e Phye fazem o máximo para acorda-los, e Yuka consegue voltar a si também. Agora só falta Shikirr, que se lança além de todos os companheiros e corre em direção a miragem, mas com um susto ele para, e se vê frente a frente com Jarvix, que grita: "Acorde Formigão", e dá um grande tapa na cara dele, fazendo ele acordar.

Ralo
Após este problema ter sido resolvido, eles se deparam vendo lago incomum, mas que não era uma miragem. Um anão surge além de uma duna dentro da visão de todos. Apesar do espanto, eles correm em direção ao anão, precisando encontrar algumas respostas. Ao notar a grande movimentação, o anão para espera para ver se eles são uma ameaça ou não. Barcan, novamente tomando a frente do grupo, fica a alguns metro do anão e fala:  
-"Nós não queremos lhe fazer mal, queremos apenas conversar", o anão levanta a mão com um aceno de comprimento, e caminha em direção ao grupo. ele está trajando um pano em sua cabeça, e vestimentas sobre seu corpo, mais pesadas do que o normal para tanto calor, mas uma proteção adequada contra o forte sol. Barcan se apresenta para o anão, e apresenta a todos no grupo, em seguida ele pergunta:
-"Quem é você anão?", o anão calmamente, terminando de tirar as roupas de sua cabeça, fala:
-"Olá amigos, meu nome é Ralo, eu já fui um minerador das grande minas de Tyr, mas minha mina foi destruída por um grupo de bandidos chamados Hejkin, os malditos atravessam essas terras procurando e destruindo usuários de magia e aqueles que tem orelhas pontudas...". os jogadores ficaram um pouco preocupados com essa notícia, pois misteriosamente a tempestade de areia está os seguindo, Phye por sua vez pergunta:
-"E o que fazes neste lugar inóspito?", o anão por sua vez responde:  
-"Após a queda da mina, eu tenho viajado. Sou um andarilho, e estou estudando como preservar a magia no mundo, já que ela foi a responsável pela maioria dos problemas no nosso mundo, talvez ela mesma seja a solução. Mas venho sendo perseguido por Athasianos, então meu caminho é sempre sem rumo.". Barcan novamente se pronuncia:
-"Já que você está há algum tempo aqui, o que pode nos falar sobre esta tempestade de obsidiana que está ocorrendo ao longe?". Ralo, passando a mão em sua barba e fazendo uma cara pensativa e preocupada, fala para os jogadores:
-"Eu nunca tinha visto uma dessas antes, mas ouvi falar de um homem lagarto xamã que vive neste deserto que usa tempestades e outras forças primordiais do deserto para destruir usuários de magia. Vocês por acaso despertaram sua ira??", respondendo a ele, Barcan fala:
-"Algumas horas atrás nós fomos pegos de surpresa por esta tempestade, talvez estivéssemos em seu território".

Após terminarem de falar, Ralo olha fixamente para o céu e sussurra "Não é seguro...". Naquele momento, a tempestade irrompe sobre eles, que são pegos de surpresa por um homem lagarto e vários elementais do ar.

O Quarto Combate
Logo que surgem os seres em meio a tempestade, o homem lagarto rapidamente ataca Ralo e o derruba no chão, com um grave corte nas costas. Em seguida eu peço uma iniciativa, e finalmente uma das minhas mimosas criaturas do mal começam a agir. O elemental do ar se aproxima de Castri e Shikirr, lançando uma onda de vento que derruba os dois desacordados no chão. Yuka sem muitas dúvidas corre em direção ao lagarto, e tenta acerta-lo, falhando miseravelmente. Castri que seria o próximo não pode agir pois está caído. Outro elemental chega em Yuka e tenta acerta-lo para proteger o homem lagarto, causando alguns ferimentos. Jarvix, corre até Shikirr caído, e consegue cura-lo e o formigão surge no combate. O último elemental chega por trás do grupo, tentando acertam Barcan e Phye, acertando os dois e deixando-os muito feridos. Phye por sua vez salta em direção ao lagarto e usa o poder de sua lança para atingi-lo de longe, deixando-o gravemente ferido, Pronto para Barcan finaliza-lo. Mas diferente do os jogadores pensavam, os elementais se manteram firmes no objetivo de derrota-los. E Shikirr, finalmente fazendo sua ação, ataca um dos elementais sem causar muitos problemas.

Em seguida os elementais continuam investindo nos jogadores, mas os danos são muito espalhados e não chegam a derrubar ninguém. Phye aproveita para curar Shikirr, que ainda estava muito ferido. E o pessoal, usando muita esperteza, concentram seu ataque em apenas um dos elementais, e o detroem com certa facilidade. Mas as criaturas restantes eram muito persistentes e ferem Yuka sem muita gravidade e Phye, que está um pouco mais ferida. Mas logo, Todos continuam em suas táticas de concentrarem seus ataques em um alvo, e conseguem matar outro elemental, e Phye aproveita para se curar, melhorando sua situação. E no mais, foi questão de tempo para destruírem o elemental restante.

Sobrevivendo...
Revistando o corpo do lagarto, os jogadores acham uma pequena poção de cura e alguns mantimentos, que serão úteis na continuidade de sua jornada. A poção é usada em Castri, acordando depois de um longo e nada prazerozo descanso. Mas, a tempestade está sobre eles, e vultos de outros homens-lagartos surgem no horizonte atrás deles, forçando novamente uma fuga, que leva diretamente para um conjunto de montanhas.
O LadinoJoão Cláudio, o Ladino, começou a jogar RPG com 12 anos, tem familiaridade com cenários medievais, mestra D&D, Reinos de Ferro e Dragon Age; fã de muitos autores, incluindo Tolkien, Paolini e Asimov. Não passa um minuto sem ter uma idéia para aventura e, acima de tudo, prefere jogar RPG.

6 comentários:

  1. Quando li o subtítulo "Ralo" achei que eles iam chegar no oásis e ia ter um imenso ralo no meio, que iria sugá-los para dentro do deserto, rsrsrsrs.

    ResponderExcluir
  2. Pois olha, isso até que daria mais um clima pra aventura. Mas, na segunda parte, após a sessão 5, eu to dando um toque mais pessoal pras aventuras. E també, to querendo continuar a minha campanha que estava mestrando algum tempo atrás, talvez eu apareceça com mais um diario de campanha pro povo ae. :D

    ResponderExcluir
  3. Dá-lhe Ladino, o mestre dos diários de campanha!

    ResponderExcluir
  4. To postando por anônimo pq n entendo as otras opções, haha.
    Sou o Felipe, O Barcan desta trama envolvente.
    Arrecém comecei com a versão 4.0, mas como esse personagem ja veio pronto e com as magias e habilidades resumidas, não encontrei problemas de usá-lo da melhor forma.
    Verdade é que estou com muita vontade de fazer um personagem próprio, com as características que eu julgar mais propícias para a minha interpretação.
    Depois de tanto mestrar 3.5, está sendo uma honra jogar com "O Ladino", que é um exelente mestre.
    Pra todos deixo um abraço.
    "Que os Deuses mantenham os lobos nas colinas e as mulheres em nossas camas"

    ResponderExcluir
  5. Estás no caminho certo, amigo Felipe! Não há nada melhor do que criar o próprio personagem. E concordo com você: o Ladino é um excelente mestre. Sucesso a vocês na empreitada nos terríveis desertos de Athas.

    ResponderExcluir
  6. Ai oh, receber uns elogios é sempre bom, hehehe. Mas valeu Felipe, se torna facil mestrar para um grupo igual ao nosso. E também concordo com a parte de criação de eprsonagem, infelizmente essa aventura não deu, mas outras virão e ai todo mundo sai feliz. :]

    ResponderExcluir

Seja um comentarista, mas não um troll! Comentários com palavrões ou linguagem depreciativa serão deletados.