quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Diário de Campanha: Mesa Online - Old Dragon (9)


Aqui vai mais um diário de campanha, da aventura que jogamos na última sexta-feira. Foi uma aventura muito boa, focalizando na solução de um intrigante enigma deixado pelo mago Willard. Leia as partes anteriores aqui:  parte 1parte 2parte 3parte 4, parte 5parte 6parte 7, parte 8

____________________________________________________________
Na última aventura nossos bravos aventureiros haviam conhecido Gwin, um bardo halfling, que trazia uma mensagem de Willard para seu aprendiz, Kelben. Apesar da carta estar endereçada a Kelben, Leonam tomou-a como se fosse para si, e decidiu seguir suas instruções, de que deveria seguir Gwin, que o levaria até Willard. O mago Argalad então resolveu contratar os serviços de Guespir, um guerreiro que estivera no templo com ele, se recuperando de alguns ferimentos sofridos.

Após uma viajem tranquila, o grupo chegou a uma torre a noroeste de Parthceredir, onde encontraram uma inscrição sobre a porta de entrada: Torre do Conhecimento, em élfico antigo.

Entrando na torre
A porta da torre estava aberta e os aventureiros depararam-se com um grande salão com o piso bem sujo e em cujas paredes haviam inúmeras estantes e armários, repletos de livros dos mais variados temas, dispostos em ordem alfabética. Na parede oposta à porta de entrada havia uma porta fechada; perto de um armário na parede à esquerda da entrada havia um balde com água, um balde vazio e um esfregão; e no centro do salão havia uma pequena mesa de madeira e, sobre ela, um pergaminho enrolado.

O guia do grupo, Gwin, havia-lhes dito que deveriam encontrar-se com Willard no último andar da torre. Como não havia sinal algum de escadas, o mago Argalad resolveu verificar se a porta que ficava na parede oposta à porta de entrada estava aberta. Despretensiosamente ele aproximou-se e... girou a maçaneta!

Neste instante um calafrio passou pela espinha dos aventureiros, que ouviram um barulho de portas fechando-se rapidamente e perceberam que a porta de entrada havia se fechado.

O pergaminho
Estando presos na torre, os personagens puseram-se a pensar e tentar encontrar uma saída. Foi aí que Guespir, o guerreiro, teve uma brilhante idéia, digna de um mago:

[Guespir Altaranos] Vamos abrir o pergaminho! Talvez possa ser uma charada!

O guerreiro então abriu destemidamente o pergaminho e percebeu que estava escrito numa língua desconhecida para ele e havia duas figuras de um mago preparando uma poção e do mesmo mago limpando sua torre. O mago Argalad também tentou ler o pergaminho, sem entender o que estava escrito e por fim entregou ao  mago Leonam, que também não sabia que língua era aquela. Foi então que Argalad teve a genial idéia de lançar a magia Ler Idiomas:

[Argalad] (Começo a pronunciar as palavras certas para a magia e de repente consigo entender tudo do pergaminho.)

E de fato ele conseguiu! O pergaminho dizia:

Um dos maiores deveres de todo mago é manter sua torre em ordem e bem limpa. A limpeza é vizinha da divindade, como se sabe; e por estar tão perto de alcançar aquilo que é divino, o mago deve ser zeloso para com a limpeza de sua morada.

O ideal é que ao se levantar pela manhã, o mago já tenha em mente esta importante tarefa, tratando de pegar o balde e o esfregão. E deve lembrar-se que esta tarefa é sua, e não deve ser transferida a outro.

Um bom mago também se empenha na preparação de certos produtos para deixar sua moradia com aspecto limpo e com o agradável aroma de capim de cheiro, ainda que não disponha de nenhuma folha dessa perfumada erva. Basta que ele conheça o caminho dos elementos alquímicos.


E Argalad acrescentou: Humpf... Guespir estava certo. Charada. O pergaminho diz que todo mago deve limpar sua torre. Guespir onde achou o balde e o esfregão?

A charada
Argalad prontamente pegou o esfregão e a água e tentou limpar um pedaço do chão imundo, mas percebeu que não conseguiria limpar tudo com tão pouca água. Ele deu-se conta de que deveria haver algo mais a ser feito. Foi então até as estantes e tentou achar um livro sobre charadas, encontrando uma velha compilação de Charadas para impressionar os incultos, que rendeu boas risadas para Argalad e o halfling Gwin.

Enquanto isso, Leonam e Guespir analisavam o pergaminho novamente, e chegaram à conclusões muito acertadas. Em primeiro lugar, era necessário limpar a torre. Em segundo lugar, essa era uma tarefa para um mago realizar. Em terceiro lugar seria necessário produzir algum produto que tivesse o aroma de capim de cheiro. E em quarto lugar, para fazer esse produto era necessário saber um pouco de alquimia.

Sendo assim, começaram a procurar um livro sobre alquimia na vasta biblioteca, logo encontrando o precioso tomo Alquimia: segredos revelados e receitas práticas, onde Leonam encontrou uma receita para se produzir um produto de limpeza que prometia "deixar a casa com perfume de capim de cheiro, ainda que se não dispusesse da planta".

Veja multi-uso
Ao ver a lista de ingredientes necessários, Leonam percebeu que não tinham tudo que era necessário, mas o curioso Argalad investigou as estantes e armários do grande salão e reuniu todos os materiais necessários. Os dois magos então trabalharam juntos para produzir o Veja multi-uso medieval. Gwin então percebeu que uma das figuras que havia no pergaminho mostrava o mago limpando embaixo da mesa, e pediu que Leonam começasse a limpeza por lá.

Ao esfregar o chão embaixo da mesa Leonam viu que algo aparecia escrito, provavelmente em decorrência do contato com os reagentes alquímicos do Veja multi-uso. Ele então leu em voz alta o que apareceu:

Você só encontrará a saída da Torre do Conhecimento se souber exatamente o que quer.

E este curto e interessante diálogo seguiu-se à leitura feita por Leonam:

[Leonam] O que queremos?
[Argalad] Na vida pessoal?
[Gwin Bonnaventura] Queremos encontrar Willard!

Ao pronunciar estas palavras a torre toda começou a tremer, como se fosse um fortíssimo terremoto, e o chão começou a abrir-se, engolindo os personagens um a um, após o que um vento assobiou dentro do salão de entrada da torre do conhecimento, fechando as grandes fendas que se haviam aberto, ao mesmo tempo em que a porta de entrada se abria novamente, como que por mágica.

E assim terminamos mais um capítulo das nossas crônicas da mesa online, com os jogadores pensando que a morte os havia levado a todos...
o ClérigoSo long and thanks for all the fish!

8 comentários:

  1. Lendo agora, nem parece que foi tão difícil e demorado...
    Parabéns novamente pela mesa online Clérigo!!!

    Fui eu quem controlou o Leonan nesse dia, minha primeira jogatina na mesa do Clérigo.

    ResponderExcluir
  2. É verdade... pra quem lê parece que foi rápido e muito óbvio, mas pra quem jogou, rsrsrsrs.

    Valeu Vinícius por ter interpretado o Leonam, foi muito bom e tirou um baita peso das minhas costas!

    ResponderExcluir
  3. Gostei bastante da dinâmica do desafio. Parabéns ao Clérigo e aos jogadores.

    ResponderExcluir
  4. Obrigado J Neves! Devo o sucesso dessa campanha aos jogadores, que são excelentes.

    ResponderExcluir
  5. Que enigma legal esse da torre :D

    Como disseram no outro post (Desafios para Magos), o grupo dos guerreiros (e rangers!) não acharia nada ruim algum enigma aparecer... \o

    ResponderExcluir
  6. Gwin B'onnaventura, o bardo!22 de novembro de 2010 15:52

    Na vida? foi ótimo XD O pessoal se esforçou bastante mesmo, mas tava bravo de dificil....e ainda mais com as figuras invisiveis..huahahauaa

    ResponderExcluir

Seja um comentarista, mas não um troll! Comentários com palavrões ou linguagem depreciativa serão deletados.