sábado, 28 de maio de 2011

Aleatório: Old & New, estamos indo longe demais


Old school, new school, guerra. O post hoje será mais curto que de costume e tem sim um tom de desabafo. Vou tentar mostrar meu ponto de vista sobre uma situação que eu detesto. A guerra new/old school.

Primeiro vamos analisar alguns pontos. Old school é considerado como um jeito de jogar RPG de maneira mais realista e com regras mais simplificadas. Você quase pode sentir o peso da armadura que seu guerreiro carrega, encontrar um lobisomem é um evento absolutamente tenso e incrível e o único jeito de saber o que uma poção faz é bebendo-a. New school seria mais parecido com os games e desenhos de hoje. Os aventureiros manejam espadas do tamanho de portas e lançam meteoros pelas mãos, viajam para outras dimensões e combatem hordas de aberrações, utilizando poderosos artefatos mágicos. Se eu estiver errado nas descrições por favor me corrijam.

O que eu vejo acontecendo a algum tempo na blogsfera RPGistica nacional é essa rixa absurda e sem sentido que está ocorrendo entre algumas pessoas. Você dar sua opinião é uma coisa, mas daí a começar a ofender as pessoas é outra totalmente diferente. Dia desses um amigo me mostrou um post em um conhecido blog onde o autor chamava os jogadores de D&D 4e de "marrequinhas da 4ª edição" e diz que eles "não são homens de verdade". Quer dizer que só por jogar a um jogo mais colorido e espalhafatoso você é uma pessoa pior? Só por escolher experimentar e gostar de algo você está errado? Isso é preconceito meus caros, puro e simples. O cara não conhece todo mundo que joga esse jogo, ele simplesmente não pode fazer uma afirmação generalista dessas, nenhum de nós pode.

Eu não gosto da 4e, eu tenho uma simpatia grande pela 3.5 e por old dragon (acho os dois igualmente interessantes), cada uma a seu modo. Mas tem uma diferença grande entre não gostar de algo, e deliberadamente atacar pessoas que gostam. Quem acompanha meus posts aqui no blog sabe o meu estilo, todo o material que produzo é orientado para melhorar o roleplay da galera portanto ninguém venha com conversa de que isso é revanchismo contra fulano ou beltrano.

O que eu quero dizer é. Vamos jogar RPG sem esquentar com denominações, se a coisa é new ou old, isso são apenas palavras, nada mais. É apenas um jogo, mesmo que seja o melhor tipo de jogo já inventado ainda é apenas um jogo, é entretenimento, é diversão. Se fulano prefere estilo A ou B ótimo, é seu direito de escolha. Mas que não venha com essa história de "o meu jeito é superior" ou "o meu jeito é o certo", isso não existe. RPG é algo muito abrangente, engloba muita coisa, é impossível falar em jeito certo ou errado. Vamos viver nossas aventuras do jeito que cada grupo achar melhor. Acho que foi o Marcelo Cassaro que disse:

"RPG é para ser divertido. Se você não está se divertindo está jogando errado."

(digam o quiserem, sou fã desse cara.)

O tal post está aqui. Leia e tire suas próprias conclusões.
Hiago AzuredHiago Azured, Roleplayer 4/Powergamer 1; tendência:??? FOR 8, DES 12, CONS 10 INT 17, SAB 9, CAR 15 Além de rpgista é metaleiro, DeMolay, nerd, otaku e agnóstico. Costuma chamar as pessoas de "manolo", tem leve tendência a falar de forma exagerada, joga todo e qualquer cenário/sistema que aparecer em sua frente. Por algum motivo considera a amizade verdadeira uma forma superior de amor. Anime favorito: BERSERK. Mora no Acre e é criador do Crônicas do Nerd Perdido.

22 comentários:

  1. em primeiro lugar, parabens pela postagem ,Hiago!

    queria fazer algumas observaçõs:

    1- "Old school é considerado como um jeito de jogar RPG de maneira mais realista e com regras mais simplificadas."

    de maneira alguma. vamos lembrar que o jogo é baseado em contos de fantasia, logo, ele nao esta nem um pouco preocupado em ser real. o conjunto de regras acho bem maduro, e as vezes, confuso se encarado o todo do AD&D (mesmo o D&D antigo). sendo as regras criações derivadas de wargames, elas visam emular varias cituações, sim, mas "ser old school" nao esta ligado a ser realista ou nao. vide "tékumel", uma das 3 campanhas originais. ou ainda, Robilar indo pra china atraves de um portal, erac's cousin indo pra marte, e coisas desse tipo.
    como algum colega disse em outro lugar (desculpem , nao lembro onde), as regras sao complexas SE usadas por completo. a base do jogo é simples, e é insentivado que NAO se perca tempo olhando tabelas: porem, elas estao la, e sao bem complexas.

    2-a descrição de "new school" tb esta um pouco equivocada ao meu ver, mas estou longe de poder falar com segurança como fala de old school. na verdade, acho q nao existe "new school". existiria se fosse um tendencia sendo criada. existe o que é agora, e o que foi um dia.

    e nesse ponto, todos que entendem um pouco da historia do D&D tem de concordar.

    3- quanto ao post no vorpal, gostaria de dizer q é um post do fabiano, e nao concordo com a maneira que certas coisas foram ditas.
    eu concordo q nao existe maneira melhor q outra, mas uma coisa existe com certeza: exise uma maneira de jogar que foi intencionada pelos criadores do RPG. e essa maneira é a q denominamos old school.

    eu jogo como o jogo foi intencionado a ser jogado (q frase estranha!). o q devemos lembrar, é q o RPg é mutante, ou seja, ele mudou e mudara sempre. o que ele é hj é diferente do que ele foi na origem. ambos sao RPG. se um dia, o rpg for jogado com telas virtuais, com comando de voz para os bonequinhos se moverem, com oculos 3d, sei la..isso SERA RPG.

    a diferença é : como vc quer jogar?
    depois de descobrir isso, é so se divertir.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Li o post e tbm me senti incomodado com o tom agressivo do texto (Não quero comprar briga nos comments de lá, mas, tbm me sentiria ruim em ficar julgando aqui).

    Mas, tem algo que a gente pode destacar de positivo daquele post: a vara de 3 metros! Juro que nunca tinha pensando nem ouvido sobre aquelas propostas de uso (só é preciso cuidado pra essa história não pegar mal: jogadores old school que ficam andando com vara de 3 metros... ui!).

    De modo geral, também considero que a discussão “Old School - New School” é um esforço improdutivo (está gerando menos benefícios do que progresso, ao meu ver). Agora, gosto de acreditar que esse tipo de discussão está refletindo algum tipo de insatisfação no cenário rpgístico que ainda não encontrou uma forma de se expressar definida plenamente. Ou seja, é como sentir-se num ambiente hostil e não entender de onde vem a hostilidade.

    E creio que as palavras de sintetizam a origem mais provável do problema: o “RPG é mutante”. Provavelmente, aqueles que conheceram as primeiras referências de RPG estão sentindo as bases de suas convicções serem abaladas com o surgimento das novas referências (e novos comportamentos) e, estão reagindo como qualquer ser humano faria, pra preservar o sentimento precioso que descobriram e experimentaram no passado. Provavelmente, a diferença entre o old school e o new school ainda é compreendida melhor pelos sentimentos do que de forma racional e lógica. Logo, toda essa discussão irá se estender até que os tipos consigam se identificar e se definir conceitualmente. Claro, como entre o preto e o branco existe as diferentes escalas de cinzas, mesmo entre o tipo-ideal de old school e new school, haverá variações e sub-tipos. No fim, provavelmente, os dois serão mais dois clãs dentro do império RPG (assim como antes dividiam-se entre D&D, GURPS e Storytelling).

    ResponderExcluir
  4. Isto é uma guerra civil dentro do próprio RPG. Temos q, se pararem pra pensar, deveriam ser aliados entre si, trocando tiros entre eles mesmos. Isto é uma burrice. No mínimo.

    Acho q a definição do Clérigo é a melhor para diferenciar Old/New School. Na Old, não se preocupava muito com equilíbrio, "ND", regras "justas" ou pensar em q circunstâncias os personagens sairiam de cada desafio. Vide os buracos de fim do mundo. As situações e desafios eram simplesmente propostas e lançadas aos jogadores. Eles é q se virassem para se sair delas. Estas são preocupações mais NS, onde se começa a ver a mecânica de regras se sobressaindo sobre a interpretação (D&D a partir da 3.0), ou pelo menos gerando a impressão de "haver regra pra tudo".

    A influência anime em D&D aqui no Brasil foi forte e doída. Mas o RPG sempre foi bastante influenciado pelas fontes externas q se tornaram moda "cult". D&D surgiu pela febre de SdA. Após Star Wars, o gênero futurista espacial empipocou. E após a invasão mangá nos EUA e Brasil, o resultado q tivemos por aqui foi Tormenta e 3D&T.

    Este fluxo de evolução qse sempre não faz sentido nenhum. E todos temos o direito de escolher não fazer parte dele. Mas isso tb é um raciocínio q não deixa de ter certo tom de anacronismo e soar meio saudosista e hermeticamente fechado a novas abordagens. Acho q daí surge 90% deste conflito.

    ResponderExcluir
  5. old school, new school isso realmente importa? essa rixa me faz lembrar os tempos das discursões AD&D vs Vampiro e a única verdade é que NÃO EXISTE UMA MANEIRA MELHOR OU PIOR DE JOGAR RPG, sou de um tempo que só por vc conhecer outro jogador dr rpg já era omtivos de alegria não importa o que essa pessoa jogasse e hj em dia quando se torna cada vez mais dificil encontrar novos jogadores ainda temos que impor esse obstaculos a nós mesmos? Vcs que ficam discutindo e brigando sobre qual e melhor maneira de jogar deviam era tentar arrumar uma mulher, sair e tomar umas cervejas, curtir uma praia, brigar por causa de RPG é como brigar por causa de time de futebol não nas mesmas proporções mas a ideia por traz é a mesma rpr é diversão e brigas nunca são divertidas

    ResponderExcluir
  6. Como alguém disse aí encima eu estava tentando ajudar, tentando dizer "joguem do jeito que quiserem". Mas parece que toda vez que eu me envolvo em algo potencialmente polêmico eu acabo escrevendo coisas que não soam como deveriam. Ao passo que minhas palavras causam tamanho problema e confusão anuncio aqui, neste espaço que. A partir de hoje eu me ABSTENHO de escrever qualquer coisa neste blog que possa gerar este tipo de reação. Vou seguir um código de conduta auto imposto:

    1-não citarei blogs alheios ou qualquer pessoa, a menos que seja de forma positiva.

    2-não voltarei a falar sobre os temas "old school", "new school" "guerra old/new" e qualquer relacionado.

    3-escreverei apenas aquilo do que sei algo. Interpretação.

    4-não postarei mas nada sem pedir a opinião do Rafel clérigo, uma vez que ele é o dono original deste blog.

    Pareci que me meti em confusão ao tocar neste assunto. Peço perdão se algo do que escrevi ofendeu alguém, não era minha intenção. A partir de agora vou guardar para mim os pensamentos que possam causar esse tipo de coisa. Foi ignorância minha achar que podia publicar este post sem uma maior pesquisa, talvez eu nem o devesse te-lo publicado em primeiro lugar. Talvez você que está lendo isto não entenda, mas este post quase me custou um amigo, já o desapontei no passado, o desapontei agora. Simplesmente não posso fazer isso novamente, não posso. Assim, esta censura auto-imposta é o único jeito que encontrei para tentar remediar isto, se é que pode ser remediado. Para mim este assunto está encerrado, morto e esquecido. Bola para frente manolos.

    ResponderExcluir
  7. O ser humano gosta de ser dogmático. Gosta de brigar para ver que lado é o melhor, o que é mais adulto, esperto ou inteligente. Infelizmente, isso não se restringe ao RPG, está presente em todos os aspectos de nossas vidas (universidades, igrejas, e por fim está dentro de nossos círculos familiares e de amizades). Apesar de também achar rixas coisas incômodas e que separam pessoas e coisas que deveriam ser agregadoras, acho infelizmente natural que esse tipo de disputa apareça no meio de nosso hobby, e que o mais sadio é ignorar pessoas que agem com agressividade ou arrogância e continuarmos a jogar para nos divertirmos, e da forma que preferirmos! Denominando ou não o estilo de jogo de cada um, o que importa é o respeito. Gostei do post e concordo que não se deva determinar aquilo que é melhor ou pior, não fora de nosso âmbito pessoal.

    ResponderExcluir
  8. @Hiago Azured
    Poats! Entendo e respeito sua decisão. E, quero dizer que da minha parte em momento algum me senti ofendido, nem senti más intenções em seu post. Creio que tanto você como o Fabiano fizeram seus desabafos e, infelizmente, como a questão em si é polêmica, qualquer posição que a gente assuma vai acabar sendo alvo de farpas. Mas, bola pra frente que mesmo com as restrições auto-impostas, certamente, continuará a contribuir positivamente com o espaço.

    Pra mim, esse post foi muito positivo na medida em que pude conhecer diferentes percepções. E sinto que tenho muito mais embasamento para entender a polêmica agora do que antes do post.

    Finalmente, se me permite uma sugestão, acredito que em vez do desabafo público, pode optar por escrever seu desabafo em e-mails pros colegas mais próximos, aqueles que você tem a certeza que eles vão querer entender suas ideias antes de entender suas palavras (já que nem sempre somos felizes em nossas escolhas com as palavras). Aliás, lembro de um forum muito antigo já fechado que tinha opção de mensagens privadas que eu costumava usar pra conversar sobre assuntos polêmicos em off (isso me ajudava muito a esfriar a cabeça, a amadurecer as idéias e a entender como as minhas palavras poderiam ser interpretadas por outros em espaços públicos).

    @O Mestre Walla
    Olá mestre! Achei interessante sua definição de old/new school, principalmente, quando cita que a 1a. Edição nem tinha uma mecânica básica unificada. Nem tinha prestado atenção nesse detalhe antes. Seu argumento é forte e virou uma referência nova pra mim, parabéns!

    @Hayashi
    Depois que mencionou que o Clérigo tinha uma definição de Old/New School, procurei e descobri o post do Clérigo sobre o assunto. Provavelmente, o principal post de referência pra mim, hoje.

    @all
    Apesar da polêmica, vejo que todos os comentários concordam que “jogamos RPG do jeito que que nos for divertido”.

    ResponderExcluir
  9. quem tiver curiosidade, a definição de old school q escrevi esta aqui;
    http://guildadosblogueirosoldschool.blogspot.com/2011/03/afinal-o-que-e-old-school.html

    @andarilho joe: nao nao, jogadores old school nao andam com varas de 3m, mas sim suas varas tem 3m (ui!)

    o RPG é mutante sim,e assim sera até o fim dos tempos, pq ele é um produto, e os produtos sempre se acomodam ao publico.

    o jovem de ontem é diferente do jovem de hj, por várias razoes. é possivel, que assim como a moda, por exemplo, a coisa "dê a volta", e acabe como começou.

    rpg é mutante, e mudará sempre pq as pessoas mudam. suas referencias sao diferentes, suas vivencias sao diferentes e por ai vai.

    d&d old school preserva a maneira intencionada por gary gygax e dave arneson ao criar o d&d.

    em momento algum isso quer dizer q assim é melhor: é melhor no meu gosto, no do fabiano, no do clérigo e por ai vai.

    o mr.pop falou mais de uma vez algo legal sobre o assunto: ao inves dos outros se preocuparem com o old school, se ele é isso ou aquilo, façam algo pelo seu jogo, falem bem dele, divulguem ele.

    é simples.

    eu nao perco meu tempo falando mal do que nao gosto, mas sim, gasto falando bem do que gosto.

    e se todos fizesemos isso, praticamente nao haveriam brigas, e as produções em cada grupo de rpg seriam muito maiores e beneficas para a comunidade rpg.

    ResponderExcluir
  10. OS e NS, apenas palavras que tentam enquadrar a forma de jogar.

    Gostos das novas edições. Imagens bem trabalhadas e invocando a fantasia. Não são os livros ou regras que determinam se é OS ou NS.

    No meu grupo de RPG tenho jogadores que poderiam ser encaixados como OS e outros como NS. Todos se dão bem, pois são apenas formas de ver o jogo. Existe respeito.

    Agora, depois de ter lido bastante sobre o assunto, chego a conclusão que esse jargões não passam de modismo e preconceito.

    ResponderExcluir
  11. nao acho q sao jargoes ou preconceitos. acho q podem ser usados como tal, e dai é culpa de quem usa

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Galera, o que eu penso é um seguinte:

    Primeiro, discutir rpg em um blog feito para isso, mesmo que você não concorde sobremaneira com o que o outro cara disse e diga isso na cara dele, é algo altamente lógico na minha visão. O problema é não existir maturidade para se separar atacar uma idéia de um ataque pessoal. simples assim.

    Segundo, eu penso ser um pouco complicado uma espécie de atitude do politicamente correto, adotada por muitos, que colocam tudo no mesmo balaio e acham que esta valendo se a galera tiver se divertindo. Eu concordo que a diversão deve ser o principal, que se o legal pra você é "controlar" um "guerreiro de 10º nível com uma arma que causa 2d10 de dano", tudo bem, mas isso para mim é se divertir fazendo alguma coisa que contem elementos rpgisticos, mas que não possuem o que considero seu definidor, que é a interpretação visando contar uma história. Se ao final do jogo você não for capaz de escrever um relato sem precisar criar elementos na hora por que o jogo não deu suporte, me perdoe, mas isso não pode ser definido como rpg. Pode ser divertido pacas, pode usar um livro e um sistema usado para jogar rpg, mas não é rpg para mim. Desculpe se isso ofender alguêm, mas é assim que penso.

    terceiro, eu acredito que se alguêm ficar ofendido pelo que eu disse acima esta agindo da mesma maneira que as torcidas organizadas que se matam por que o outro esta torce por um time diferente. É ridículo. ninguêm aqui está pedindo para você parar de jogar do seu jeito, so estou dando a minha opinião, ora bolas!

    Só isso por enquanto, e um abraço a todos!

    ResponderExcluir
  14. esse é o problema que esta sendo discutido cara. pessoas como vc que chegam e dizem "isso não é RPG!".

    ResponderExcluir
  15. entao, estou dizendo o seguinte:

    se um dia, a wizbro decidir que o rpg (d&d) será um jogo onde vc compra um caixa, tira um pendrive com as regras, instala no computador o programa, pega seu personagem e vai clicando pela tela enquanto vc digita no teclado com outras pessoas...

    bom, isso sera D&D, ja q a dona do jogou decidiu que assim seria.

    ainda seria rpg?
    bom, ele esta interpretando um personagem, é um jogo, existem regras e ainda existe interação social.

    mas e ai, como fica?

    rpg de computador é igual ao de mesa?

    um é menos rpg q o outro?

    e vamos presumir, num futuro alternativo, q todas as empresas decidem fazer isso (ou ao menos, a maioria). agora, ao inves de apenas o d&d, temos qs todos os titulos de rpg como sendo virtuais, com bonecos controlaveis e acesso grafico a tudo q esta sendo acontecido.

    e por fim, digamos q vc nao queira jogar assim. vc quer se reunir com os amigos, comer pizza, dar risadas com os colegas na sala da sua casa...enfim, o contato humano.
    vc estara sendo contra o que todos estao fazendo. vc estara jogando rpg?

    uma forma dele sim, mas nao a atual (atual do meu exemplo, claro).

    se vc gosta de uma forma de joagr rpg, pq tem q se submeter a uma q vc nao quer?
    e como achar outras pessoas q gostam de joagr da mesma forma q vc?

    pois é...o que vcs fariam?

    ResponderExcluir
  16. Acho que o que o Beltrame falou é uma pérola: cada um divulgue o estilo de jogo que gosta, mas não ataque o dos outros.

    Agora, o que me deixa triste é o fato de algumas pessoas quererem entrar nessas discussões sem saber exatamente o que é Old School e o que é New School.

    ResponderExcluir
  17. Eu acho toda essa discussão uma tremenda bobagem sem tamanho.

    Se vocês querem que a discussão Old School/New Schol acabem, comecem por ignorar e jamais mencioná-la.

    É chover no molhado que ainda existe um preconceito burro dos RPGistas mais antigos com novas vertentes como o anime. E não falo de um mero "não gosto de anime", mas sim ataques verborrágicos a qualquer um que jogue qualquer RPG vagamente parecido com anime, ódio cego mesmo, intolerância suprema.

    É também chover no molhado que o RPG PRECISA mudar para se ter renovação. Queiramos ou não, a 4ª edição do D&D foi uma injeção de gás muito bem vinda, pois se não evoluísse o jogo, ele seria esquecido e - pum, adeus D&D.

    E, como se não bastasse, é chover no molhado que há muito jogador que se diz "Old School" e ABOMINA a 4ª edição, pois na visão dele, o jogador novato tem mais é que jogar um RPG de páginas mofadas e empoeiradas publicado nos anos 80 e, pior, tem que GOSTAR... mesmo que o cara não goste! Do contrário, o "Old Schoolboy" vai entupir o novato de ofensas, xingamentos e coroando com um "ele não sabe o que é RPG".

    Ou seja, é tudo birra de PIRRALHO VELHO.

    Quer ver ela sumir? Fácil, não dê atenção à discussão e quando você ver um velho cuspindo suas ofensas contra os "New Schoolboys" dê um esporro nele e mande sossegar o facho: os "NS" são essenciais para manter o fluxo de RPGistas funcionando.

    Eles são o futuro, jogam os jogos de sua época.
    Agora, nós, os veteranos, temos a opção de sermos extintos, arrotando obscenidades contra qualquer modernidade - ou podemos nos adaptar aos novos tempos. Isso não implica em jogar a 4ª Edição, mas sim buscar maneiras de mestrar e jogar que estejam mais sintonizados com a realidade dos novos jogadores.

    ResponderExcluir
  18. acho dificil o d&d sumir, visto q ele vive nao apenas no que é lançado pelos "grandões", mas pela infinidade de retroclones

    ResponderExcluir
  19. Rapaz, veja, o que eu estou falando aqui é não é sobre new school ou old school, mesmo pq em uma rápida olhada pela blogsfera é fácil ver esses termos são apropriados para se falar de coisas bem diversas, e nesse mesmo blog já foram discutidas algumas noções diferentes sobre os mesmos. A questão é a identidade do jogo, sua definição como tal, suas características inerentes de construção discursiva. Diversas correntes de prática de jogo podem existir sem perderem essas características. Não é uma questão de veteranos ou novatos, de se usar velhos ou novos sistemas, muitas ou poucas regras ou uma estética retrô, anime, gótica ou cyberpunk, mas de usar qualquer que seja esses mecanismos para deixar a narração interativa e coletiva de uma história mas interessante. Como falei no post acima, tenho certeza que é plenamente possível narrar uma aventura de rpg de Dragon Ball Z usando o 3d&t e ser um rpg extremamente estigante e criativo para os participantes que curtiram construir essa estética e mecânica no jogo, mas se no final o seu personagem for só o cara de cabelo loiro que causa tantos dados de dano com um golpe que vc nem sabe o nome, e muito menos o dos outros pcs, ai por mais que existam elementos rpgisticos eles estaram sendo apropriados para se fazer outra coisa, não rpg.

    Dizer que esse é a onda nova, seja ela construção das empresas publicadoras dos livros (que não podem ser dona mais do conceito do D&D, mesmo que o sejam da marca, assim como ninguêm pode ser dono da "ficção científica", muito menos do rpg), seja por ser prática de uma imensa maioria, e que por isso eles estão fazendo algo que merece ser seguido, para mim não faz o menor sentido. Merece ser seguido se você acreditar que isso pode ser interessante para você, e até pode ser um treco arretado, como o mage knight o é também, por exemplo (viajo naquelas miniaturas), mas nem por isso é rpg no sentido no qual o termo foi pensado, um jogo de interpretação de papéis.

    Não é uma questão dos meios utilizados, mas do objetivo ao qual o jogo se propõe.

    Neste sentido, e não o da arenga ridícula do "eu jogava antes de você então eu entendo mais" ou do "essa é a maneira mais moderna e vocês estão ultrapassados", eu penso sim que essa discussão tem de continuar acontecendo, de forma saudável e com debate de idéias.

    ResponderExcluir
  20. Galera, essa "guerra" entre Old School e New School,ou mesmo a dita "guerra de edições" não passa da nova roupagem do conflito "AD&D vs. Storyteller", que antes dele era o conflito "AD&D vs. GURPS".

    RPGistas, por alguma razão, dividem-se em tribos definidas pelo jogo que preferem, e por alguma razão também desconhecida, tendem a tratar os jogos das outras "tribos" com desdém.

    Tentar apartar essas brigas é perda de tempo, energia gasta à toa. Sempre aconteceu, e sempre vai acontecer. Quer fazer alguém mudar de idéia sobre um jogo, ou tipo de jogo? Se você acha que realmente manda muito bem como mestre no jogo em questão (conheço muita gente que não gosta de AD&D por causa dos mestres que pegou pela frente), convide o cara que não gosta pra jogar com você; faça ele dar uma chance pro jogo. Se ele continuar não gostando, bom, aí é questão de gosto mesmo, não há o que fazer.

    ResponderExcluir
  21. heitor, nao discordo de vc. merece ser seguido aquilo q vc acha q deve. mas quanto ao "o que é rpg", isso é uma coisa q depende das empresas. mesmo que elas façam as coisas baseadas em pesquisa de mercado, ja sabemos q a wizards esta sendo campeã em falhar em diversos aspectos.

    pra mim, rpg é um jogo onde vc interpreta um personagem, usando regras para superar oposiçoes.

    agora, com isso, existem muitas maneiras de fazer o jogo.
    acredito q o problema nao estao em "o que é rpg", e sim no q ele esta se tornando.

    alias, nao é um problema, mas é o motivo das brigas, ao meu ver.

    na realidade, so briga quem quer. o melhor é cada um cuidar do seu e faz crescer a comunidade. (leiam o post sobre "rpg é um jogo de velhos" no Dungeon Compendiun, é muito interessante)

    ResponderExcluir
  22. Não li todos os comentários (não dá pra ler tanta coisa no meio do estágio). Logo, minha fala abaixo não remete a nenhum comentário anterior - ao menos, não intencionalmente.

    Muito legal o post, Hiago, apesar da abertura um tanto agressiva mesmo.

    Essa discussão entre old x new me lembrou muito os tempos áureos de Dragão Brasil, quando rolava fight entre quem jogava Vampiro (os "interpretativos") e AD&D (os "só porrada"). Era quase o mesmo papo: eu jogo melhor que você, eu interpreto mais que você, etc.

    Absurdo! Quer jogar? Então joga do jeito que lhe pareça mais bacana e ignore todo o resto que lhe enche o saco. Isso inclui tanto elementos de jogo quanto pessoas.

    A coisa boa dos old foi trazer de volta a própria história do RPG. A cois boa dos new foi a inovação, o estímulo a criatividade. Qualquer briguinha entre os dois "modos" é perda de tempo. Se é pra rolar um debate, que seja exatamente isso, um debate, não uma "inimizade".

    Espero não ter sido muito confuso o meu comentário!

    ResponderExcluir

Seja um comentarista, mas não um troll! Comentários com palavrões ou linguagem depreciativa serão deletados.