quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Conversa de Taberna: Um Olhar sobre o Dungeons and Dragons - Part. I


A notícia da nova edição da Dungeons and Dragons agitou com a comunidade RPGística ao redor do globo. E aqui no Brasil, foi sentido um pouco mais além do que uma marolinha. E apesar da declaração de Mike Mearls de que pretendem unir os jogadores com essa nova edição, só o seu anuncio já está dividindo os fãs.
O que vocês vão ler a segui, e na segunda parte postada amanhã, é um breve olhar sobre o D&D e sua história e o como está sendo recebida essa notícia da nova edição.


O primeiro Dungeons and Dragons, agora referido como OD&D, era uma pequena caixa com três livretos publicado em 1974. Foi feito com amadorismo na produção e escrita com uma perspectiva que assumia que o leitor estava familiarizado com jogos de guerra. Contudo, cresceu rapidamente em popularidade, sendo o primeiro em jogos de guerra e depois expandindo para um público mais geral, formando, principalmente, por universitários e jovens do ensino médio. Cerca de 1.000 cópias do jogo foram vendidas no primeiro ano, seguidas de 4.000 cópias em 1975 e um aumento crescente nos anos seguintes. Esta primeira série passou por muitas edições e foi sendo complementada com diversas adições oficiais, como, por exemplo, os suplementos de Greyhawk e Blackmoor (ambos de 1975), bem como por artigos de revistas em publicações oficiais da TSR e inúmeros fanfics.




Em 1977, a TSR criou o primeiro elemento de uma estratégia em duas vertentes que iria dividir o jogo D&D por mais de duas décadas. Uma edição básica foi introduzida, através da caixa Dungeons and Dragons Basic Set, que limpou a apresentação das regras essenciais, tornado o sistema compreensível para o público em geral, e foi vendido em um pacote que poderia ser estocado em lojas de brinquedos.

Em 1978, Advanced Dungeons & Dragons (AD&D) foi publicado, reunindo as várias regras já publicadas, bem como as opções e correções, então o expandiram em um jogo definitivo e unificado para os jogadores amadores.

Infelizmente, quase desde o seu início, as diferenças de filosofia dos designs, fizeram que essa abordagem de marketing dupla desse errado. Gygax, que escreveu o jogo avançado, queria um jogo expansivo com decisões em qualquer situação concebível que possam surgir durante o jogo. J. Eric Holmes, o editor do jogo básico, preferiu um tom mais claro, com mais espaço para a improvisação pessoal. Como resultado, o jogo básico incluía muitas regras e conceitos que contrariava os encontrados no jogo avançado. Confundindo ainda mais as coisas, o conjunto D&D original encaixotado permaneceu na publicação até 1979, uma vez que continuou a ser um vendedor saudável para TSR.

Advanced Dungeons & Dragons foi desenhado para criar sistema de jogo mais estruturado e unificado do que o quadro solto do jogo original. Embora visto por muitos como uma revisão do original D&D, AD&D foi, como declararam na ocasião de sua publicação: "nem uma expansão, nem uma revisão do antigo jogo, mas sim um novo jogo".

Entre 1977 e 1979, três livros de regras de capa dura, comumente referido como "livros básicos", foram liberados: O Livro do Jogador (PHB), o Livro do Mestre (DMG) e o Livro dos Monstros (MM). Vários livros de suplementos forma publicados ao longo da década de 1980.


Na década de 1980, as regras para Advanced Dungeons & Dragons e "básico" Dungeons & Dragons permaneceram separados, cada um desenvolvendo ao longo de caminhos diferentes.
Em 1981, a versão "básica" de Dungeons & Dragons foi revisto por Tom Moldvay e dividido em várias versões.

Este jogo foi promovido como uma continuação do D&D original,enquanto a AD&D foi promovido como o avanço da mecânica. Embora globalmente mais simples do que o AD&D, este incluía regras para algumas situações não previstas no AD& D.Havia cinco sets: Basic  (publicado em 1977, revisto em 1981 e novamente em 1983), Expert (publicado em 1981 e revisto em 1983), Companion (publicado em 1983), e Immortals (publicado em 1986, e revisto em 1991). Cada conjunto continha regras para personagens mais poderosos do que o anterior. Os quatro primeiros sets foram em 1991 compilados como um único livro de capa dura, o denominado Dungeons and Dragons Rules Cyclopedia.


Advanced Dungeons & Dragons 2nd Edition, por vezes referido como "Segunda Edição", foi publicado em 1989, novamente como três livros básicos; o designer principal foi David “Zeb” Cook. Em 1995, a livros básicos foram ligeiramente revistos, embora ainda referido pela TSR como a 2 ª Edição, e uma série de manuais Player’s Option foram lançadas como livros de regras opcionais.

Em 1997, um quase-falida TSR foi comprada pela Wizards of The Coast. Após três anos de desenvolvimento Dungeons and Dragons 3rd Edition foi lançado em 2000. O D&D 3.0, como ficou conhecido, foi a maior revisão das regras de D&D até à data, e também serviu como base para um gênero multi-sistema de RPG projetado em torno de um dado de 20 faces, o chamado Sistema d20.

 As regras 3ª Edição foram projetadas para serem internamente consistente e menos restritiva do que as edições anteriores do jogo, permitindo aos jogadores mais flexibilidade para criar os personagens que eles queriam jogar. Habilidades e talentos foram introduzidas as principais regras para encorajar uma maior personalização de personagens.  As novas regras também padronizaram os mecanismos de resolução de ação e combate.


Em 2003, Dungeons & Dragons v.3.5, também conhecida como Revised 3rd Edition ou D&D3.5, foi lançado como uma revisão das regras da 3ª Edição. Esta versão incorporou centenas de mudanças de regras, a maioria menores, e expandiu os livros básicos.

No início de 2005, a equipe da Wizards of The Coast começou a desenvolver Dungeons and Dragons 4ª Edição, com um objetivo de tornar o jogo mais rápido, mais intuitivo, e com regras mais claras e mais fáceis de jogar do que as da 3ª Edição. O novo jogo foi desenvolvido através de uma série de fases de projeto abrangendo de maio de 2005 até sua liberação.

Dungeons & Dragons 4th Edition foi anunciado na Gen Com em agosto de 2007, e os três primeiros livros básicos foram lançados 6 de junho de 2008. A  4ª Edição simplificou o jogo e introduziu inúmeras mudanças de regras. As habilidades personagem foram reestruturadas em "Powers". Estes alteram as classes adicionando habilidades que poderiam ser usados ​​à vontade, por encontro, ou por dia. Wizards of the Coast lançou muitos material suplementares virtualmente através do seu site,  incluindo programas de criação de personagem do jogador e de construção de monstro.



E, na última segunda-feira, dia 09 de janeiro de 2012, Wizards of The Coast anunciou uma nova edição do Dungeons and Dragons que será desenvolvida ao longo dos próximos anos juntamente com a comunidade de fãs  através de feedback e playtestes abertos. A nota oficial da Wizards pode ser vista aqui.


Continua.....

Postado por Bel.
BelBel é uma leitora compulsiva, e aficionada por RPG, HQs, séries, filmes e outras nerdices em geral. É apaixonada pelo Drizzt Do Urden e por sapatos. Além, de ser péssima com nomes e incapaz de, até mesmo, criar um apelido decente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja um comentarista, mas não um troll! Comentários com palavrões ou linguagem depreciativa serão deletados.