quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Arquétipo: Apotecário

Inspirei-me a iniciar outra seção do blog: Arquétipos, onde apresentarei conceitos, definições e ideias a respeito de novos arquétipos (ou jobs, classes, kits) que poderão ser incorporados a suas campanhas RPGísticas. Neste primeiro post da série veremos o apotecário, sua função e utilidade.
____________________________________________________________
Um pouquinho de História
Um apotecário era um antigo profissional da medicina, que tratava doentes, fazia cirurgias, fabricava elixires, venenos, unguentos, pomadas e outros medicamentos, algo parecido com um farmacêutico de hoje.

No princípio seus remédios não tinham base científica alguma, sendo feitos pela mistura de vários ingredientes nada convencionais (urina de rato, aranhas esmagadas, olhos de sapos...), mas com o tempo a profissão se tornou até mesmo regulamentada na Inglaterra, tendo suas pesquisas contribuído para o desenvolvimento das atuais ciências químicas e farmacêuticas.

Na idade média, os apotecários costumavam ter uma loja (chamada apoteca, ou botica, uma espécie de farmácia) onde estocavam os preciosos ingredientes de suas receitas, bem como os compostos preparados e prontos para venda.


Exemplos de apotecários
Michel de Nostredemus (ou o famoso Nostradamus) foi provavelmente o apotecário mais famoso da história. Excêntrico, afirmava ter visões e ser capaz de criar medicamentos miraculosos. Foi até expulso da universidade quando descobriram que era um apotecário! Dante Alighieri (autor da Divina Comédia) e John Keats (poeta inglês) também foram apotecários.

Na literatura, dois personagens me veem a mente, que poderíamos considerar como apotecários: Dr. Jekyll (O médico e o monstro) e Dr. Frankenstein (Frankenstein).

Dr. Jekyll utilizou seus conhecimentos químicos para criar uma substância que libertava seu subconsciente, transformando-o (física e mentalmente) em outra pessoa, Mr. Hyde. Já Dr. Frankenstein utilizou seus conhecimentos médicos para remendar partes de vários seres e criar um monstro chamado apenas de criatura, que ficou erroneamente conhecido (graças à hollywood) como Frankenstein.

Como vemos, os dois livros narram histórias de homens que utilizaram conhecimentos típicos de apotecários, com o intuito de fazer experiências muito estranhas e perturbadoras.

Apotecários no seu RPG
Frankenstein?
Nada disso: Frank era o doutor; esse aí é simplesmente...
a criatura!
O que move os apotecários é o desejo de entender o funcionamento do corpo humano (ou de qualquer outra raça) e a capacidade de tratá-lo e modificá-lo. Eles desejam ter o conhecimento sobre a vida e a morte. Seria comum esperar ver apotecários em cemitérios desenterrando corpos para utilizá-los em suas pesquisas. E suas apotecas deveriam ser lugares estranhos, com tubos de ensaio cheios de líquidos borbulhantes, partes de corpos das mais diversas criaturas e um terrível odor disso tudo misturado.

Eu diria que uma certa aura de mistério e sobrenatural deveria envolver este arquétipo, afinal sua busca por conhecimento não necessariamente envolve a legalidade, ou seja, tais personagens deveriam estar dispostos a buscar o conhecimento de qualquer maneira, contrariando leis e dogmas estabelecidos, no intuito de descobrir a verdade.

Em minha opinião, alguns cenários excelentes para apotecários seriam Ravenloft, Rastro de Cthulhu e Castelo Falkenstein.

Fontes:
http://en.wikipedia.org/wiki/Apothecary
http://www.sinprafarmas.org.br/Atuali_Balconista/botica.htm
http://www.history.org/almanack/life/trades/tradeapo.cfm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Nostradamus
Stevenson, R. L., Dr. Jekyll and Mr. Hyde
Shelley, Mary, Frankenstein
o ClérigoSo long and thanks for all the fish!

13 comentários:

  1. BOA!!! PRIEST!! Muita gente desconhece essas profissões antigas, uma vez eu estava narrando e mencionei um anuncio do SENESCAU do rei, os jogadores ficaram olhando para mim com aquela cara, pensaram que eu estava falando de um achocolatado. srsrsrsrsrrsrsrsrsr

    ResponderExcluir
  2. Muito bom gostei da idéia já aguardo os novos.

    Ah é que SENESCAL NÃO É ACHOCOLATADO!?!?

    ResponderExcluir
  3. Super Senescal, energia que dá gosto! Ae red, senescal é com L, rsrsrsrs. Acho que vou fazer desse o próximo arquétipo da série. Alguém tem outras sugestões?

    ResponderExcluir
  4. Essa língua humana é difícil de aprender kkkkkk!
    Eu tenho outra sujestão priest, que tal abordar os anacoretas?!

    ResponderExcluir
  5. Poxa....priest vc nem notou o minha suJestão :\
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKkkkkkkkkKKkkkkkk

    ResponderExcluir
  6. Ótimo post, nobre clérigo! Sempre achei interessante esta antiga profissão... vou esperar pelos outros arquétipos! RPG, como muitos já disseram, também é cultura!

    Outro arquétipo que talvez fosse interessante abordar são os escribas, monges copistas, dependendo da ambientação fica interessante fazer NPCs assim...

    ResponderExcluir
  7. Como Farmacêutico, eu amei esse post! ahahahah

    ResponderExcluir
  8. otimo post!
    o apotecario nao parece uma mistura de druida com necromante?

    ResponderExcluir
  9. Parece mesmo... Cara, não sabia que o Frodo era apotecário, senão tinha pedido ajuda, rsrsrsrs.

    Cara Astreya, sua sugestão está anotada, muito obrigado!

    ResponderExcluir
  10. Que legal, isso me fez lembrar da palavra alemã pra "farmacêutico", que é "Apotheker" ou alguma coisa assim, agora sei de onde que veio então :D

    E ótima idéia de seção, Clérigo! \o

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Seja um comentarista, mas não um troll! Comentários com palavrões ou linguagem depreciativa serão deletados.